PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Pietro Fittipaldi: 'Quero correr uma temporada inteira, seja na F-1 ou não'

Pietro Fittipaldi se prepara para treinos livres do GP de Abu Dhabi pela Haas - Andy Hone / LAT Images
Pietro Fittipaldi se prepara para treinos livres do GP de Abu Dhabi pela Haas Imagem: Andy Hone / LAT Images

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/09/2021 04h00

Pietro Fittipaldi é o único piloto brasileiro na Fórmula 1. Desde novembro de 2018, ele é o piloto reserva e de testes da equipe Haas —seu contrato com a equipe americana vai até o final da temporada 2021.

No entanto, esta escrita pode acabar a partir da próxima temporada. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, Pietro revelou que tem como objetivo correr uma temporada inteira e, se não for na F-1, pode acabar sendo na Fórmula Indy, categoria de automobilismo muito popular nos Estados Unidos e no Canadá, e que o manteria no radar da F-1.

"Foi um sonho correr na Fórmula 1, tive a oportunidade de fazer duas corridas no ano passado, foi um sonho realizado. Mas eu gostaria de um dia correr uma temporada inteira na F-1, várias temporadas, mas quero disputar uma temporada inteira correndo, seja na F-1 ou não, tenho isso como objetivo", disse.

"Talvez correr na Fórmula Indy e continuar com um pé na F-1, faltam alguns meses para a temporada acabar e tenho isso na cabeça", acrescentou.

Em novembro do ano passado, a Haas anunciou que Pietro faria sua estreia na F-1 no GP de Sakhir, substituindo o piloto titular Romain Grosjean que havia sofrido um grave acidente na etapa do Bahrein. O neto do bicampeão Emerson Fittipaldi também correu no GP de Abu Dhabi, em dezembro do mesmo ano.

O último brasileiro na principal categoria do automobilismo, antes de Pietro, foi Felipe Massa que se aposentou no final de 2017 pela Williams. Na opinião do piloto de 25 anos, a falta de brasileiros na F-1 é resultado da falta de investimento do país na modalidade.

"O Brasil tem muita história na F-1 e teve muito sucesso. Na Europa ou em qualquer outro continente, se alguém olha um brasileiro no grid, eles acham que o cara vai ser rápido. Falta um brasileiro no grid da F-1 e o país passar por problemas econômicos nos últimos anos prejudica", afirmou.

"Existem muitos brasileiros bons, mas no automobilismo você depende muito da parte financeira para correr por uma equipe melhor e em um carro competitivo", completou.

Para atrair um público maior para o automobilismo, Pietro se juntou ao seu irmão Enzo, que disputa a Fórmula 2, e criou o canal no YouTube Fittipaldi Brothers —onde mostram os bastidores das competições que disputam e a rotina de um atleta. Além disso, eles criaram um canal na Twitch para fazer lives e ter um contato mais próximo com quem os acompanha.

Fitti - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Pietro e Enzo Fittipaldi são irmãos e netos do bicampeão da F-1, Emerson Fittipaldi
Imagem: Arquivo pessoal

De acordo com Pietro, a ideia surgiu no início da pandemia, quando nem ele e nem seu irmão estavam competindo. O feedback do público foi positivo e por isso é algo que eles continuam tocando até hoje.

"A ideia surgiu no começo da pandemia, nenhum de nós estava competindo e começamos a transmitir os campeonatos virtuais que os próprios pilotos da F-1 estavam disputando. Nós acabamos criando o canal, e o Gaules [principal streamer brasileiro da atualidade] nos apoiou, levou um público para as nossas lives e chegamos a conhecê-lo", explicou.

"O nosso foco principal é a carreira no automobilismo. Quando entramos no carro, só queremos acelerar, as streams são um hobby que nós gostamos muito de fazer", concluiu.

Fórmula 1