PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton superou câimbra e largada para fazer história; veja frases do GP

Lewis Hamilton comemora 92ª vitória na Fórmula 1 no GP de Portugal - Pool/Getty Images
Lewis Hamilton comemora 92ª vitória na Fórmula 1 no GP de Portugal Imagem: Pool/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

26/10/2020 04h00

Lewis Hamilton se tornou ontem (25) o piloto com o maior número de vitórias da Fórmula 1 ao cruzar a linha de chegada do Grande Prêmio de Portugal na liderança. Além dos adversários, o inglês enfrentou também uma largada incomum, uma pista complicada e cãibra na perna.

"Hoje foi difícil. Começou a chover logo no início, mas eu fiz uma boa largada. Indo para a Curva 7, tive um momento em que o carro saiu de traseira, e não sabíamos o que viria a seguir, então eu recuei", relatou o piloto, que chegou a perder a liderança da corrida durante algumas voltas depois que seu carro saiu da pista.

"Deveria ter tentado me defender de Valtteri [Bottas, que o ultrapassou]. Mas eu pensei: 'Voltarei mais tarde'. Felizmente, foi o que eu consegui fazer", comemorou Hamilton.

Circuito complicado

O circuito de Portimão, em Algarve, foi novidade para os pilotos na categoria. Portanto, tratava-se de um novo desafio para todos, e Hamilton ressaltou o nível de dificuldade enfrentada.

"Parecia uma corrida que não acabava. A pista é muito difícil, tive grande dificuldade. É fácil perder o controle nessas situações, mas fiquei calmo porque sabia que teria a chance de brigar de novo [pela liderança]", confessou o inglês.

"Se eu sabia que teria que o ritmo que tive? Não. Fui descobrindo novos caminhos desta pista. Senti como uma das minhas melhores [corridas]", completou ele.

Dor física

Faltando menos da metade das voltas para o fim da corrida, Lewis relatou para sua equipe no rádio que estava com cãibra na panturrilha. O piloto atribuiu isso ao fato de ter forçado bastante o pedal do acelerador e não tomar água durante a competição.

"É um circuito muito físico, há muitas ondulações, você usa o acelerador de forma bastante agressiva em quase todas as voltas até o fim e nunca consegue descansar", justificou o inglês.

"Eu estava saindo da curva 15 e tive a sensação de que estava prestes a estourar um músculo - e estourou. Doeu tanto que tive que levantar. Eu não sabia o que fazer, porque toda vez que usava [o pedal], a dor estava lá. Mas é claro, tive que continuar", relatou Lewis.

"Foi muito doloroso por algumas voltas", completou.

Hamilton admitiu que tem um problema na panturrilha e prometeu buscar atendimento médico. "Espero continuar mostrando às pessoas que não importa o que digam para você, não desista, continue acreditando e continue focado", declarou.

Corrida difícil para todos

Não foi apenas Lewis Hamilton que teve dificuldade durante o circuito de Portimão. A maioria dos pilotos também relatou momentos complicados na competição, tanto pela pista quanto pelas condições climáticas.

"As primeiras voltas da corrida foram bastante escorregadias. Eu consegui trabalhar meu caminho e coloquei alguns movimentos de ultrapassagem. Infelizmente, o ritmo simplesmente não estava lá", disse Romain Grosjean.

"Foi uma corrida complicada. Choveu um pouco, o vento soprava forte e, especificamente para o nosso carro, lutamos muito nessas condições. No início da corrida, parecíamos mais em ritmo com os nossos concorrentes, mas depois a coisa escorregou", declarou Nicholas Latifi.

"Foi uma corrida ruim, não havia muito o que fazer depois da primeira volta porque já estava em uma posição ruim. O vento não facilitou a situação, mas é normal, essas condições são sempre muito complicadas", lamentou Daniil Kvyat.

"Quando você considera como a corrida começou, o P7 é um resultado muito bom. Fizemos uma corrida forte com os pneus médios, o que nos colocou de volta à frente, mas a última volta com os pneus macios foi difícil. Não fomos capazes de nos proteger contra a granulação", detalhou Sergio Perez.

"Foi uma corrida bastante interessante para nós. Fiquei muito contente com a largada e as primeiras voltas na chuva, as condições mistas, liderando a corrida por algumas voltas. Sempre gostei dessas condições complicadas. No seco, lutamos contra a granulação, o que fez com que retrocedêssemos. Só no fim conseguimos recuperar algumas posições e terminar em um P6. Foi uma corrida muito dura", afirmou Carlos Sainz, que chegou a liderar a competição por algumas voltas.

"Foi uma boa corrida para mim. Foi muito difícil no início, mas mantive a calma e continuamos competitivos o tempo todo. Continuou chovendo muito em períodos curtos, então tivemos que ficar atentos a isso", relatou Esteban Ocon.

"A primeira volta foi complicada. Tive que me manter concentrado, estava perdendo muitas posições porque começamos com pneus médios. Volta após volta, voltamos para onde queríamos, e foi incrível", comemorou Charles Leclerc, sem deixar de mencionar as dificuldades.

"Parecia uma corrida muito longa. O vento não facilitava as coisas, as rajadas tornavam o carro inconsistente de curva em curva, e era difícil entrar no ritmo", declarou Antonio Giovinazzi.

Fórmula 1