Topo

Fórmula 1


Fórmula 1

Fã brasileira com câncer raro encontra Ricciardo em Interlagos: "Surreal"

Julianne Cerasoli/UOL Esporte
Imagem: Julianne Cerasoli/UOL Esporte

José Edgar de Matos e Juliane Cerasolli

Do UOL, em São Paulo (SP)

16/11/2019 11h00

Há um ano, também no paddock do circuito de Interlagos, Daniel Ricciardo conheceu a história de Ana Luiza Kalil, fã brasileira com um câncer raro. Ontem (15), o australiano realizou o sonho da mineira de 30 anos, que interrompeu sua rotina de tratamento diário para visitar o box da Renault com a amiga Beatriz Rosenburg e e conversar com o ídolo.

A visita ocorreu depois do segundo treino livre para o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Ana Luiza foi informada no fim de 2017 sobre o diagnóstico de Sarcoma de Ewing, um tipo de câncer que afeta os ossos e é raríssimo em adultos. No ano passado, a fã fez o autotransplante de medula para tentar curar a doença

Em meio ao tratamento e com apenas um objetivo para este fim de semana, Ana e Beatriz aguardaram ansiosamente Ricciardo no paddock, sentadas em frente à sala de convivência da Renault. O australiano primeiro passou rapidamente e cumprimentou as brasileiras, pouco depois de fazer o sétimo tempo na tarde de sexta-feira. Passaram alguns minutos para, enfim, a dupla teve o esperado encontro na parte interna da equipe.

"Foi surreal. Nem sei onde estamos. Vi um F1 na Racing Point, peguei no capacete do Ricciardo, dei entrevista para a Globo. É surreal. Nem no melhor sonho possível poderia imaginar isso", afirmou Ana Luiza, com um sorriso enorme no rosto, comparável ao que Ricciardo costuma desfilar no paddock em dia intenso de atividades.

Ana posa com o capacete de Daniel Ricciardo no box da Renault - Julianne Cerasoli/UOL Esporte
Ana posa com o capacete de Daniel Ricciardo no box da Renault
Imagem: Julianne Cerasoli/UOL Esporte

"Foi muito mais do que esperava. Eu tenho medo às vezes de conhecer um ídolo, porque você pode se decepcionar. Ele foi muito melhor do que imaginava, é uma pessoa simpática e muito educada. Ele chegou com aquele sorriso que desarma qualquer um, que tira a vergonha. Mesmo tremendo, consegui falar com ele em inglês", acrescentou.

Ana Luiza e Beatriz entregaram presentes e um cartaz para Ricciardo, que fez questão de pendurá-lo em sua sala no box da Renault. Os minutos com o australiano valeram a logística-relâmpago para deixar Belo Horizonte e vir a São Paulo.

Ricciardo foi presenteado por sua fã número um no Brasil - José Edgar de Matos/UOL
Ricciardo foi presenteado por sua fã número um no Brasil
Imagem: José Edgar de Matos/UOL
O médico acelerou o tratamento, mas ela quase não veio a São Paulo para tentar conhecer o ídolo. A primeira passagem, marcada para terça-feira, foi cancelada por ordens médicas. Na quarta, contudo, veio a melhora e a certeza de que a aventura ocorreria. A viagem foi na quinta.

"Compensou muito. Vou chegar na minha próxima consulta e agradecer muito ao médico por ter me liberado, mesmo com exames não estando tão bem. Vou mostrar todas as fotos e contar tudo. Valeu muito a pena", comentou a mineira, que também conseguiu fotos com Lando Norris e Nico Hulkenberg.

Ricciardo inspira ainda mais

O encontro com o australiano aumentou a luta de Ana Luiza. O carisma do australiano, agora, se une ao esperado encontro inédito de ontem (15). A mineira, que perdeu o pai por um câncer no pulmão, tem em Daniel Ricciardo um alicerce.

"Não sei de onde vem essa força. A gente não sabe a força que tem até precisar. É pensar que quero viver. Você vê que tem muito o que viver, daí vem essa força. Meu pai morreu de câncer, uma pessoa próxima também...você só vai ter noção quando vai passar por isso", encerrou a fã que, nesta sexta, provavelmente superou em tamanho o sorriso do carismático piloto da Renault.

Fórmula 1