Topo

Fórmula 1


Fórmula 1

Italiano carrega pressão de um país na F1 e quer provar pizza de São Paulo

REUTERS/Issei Kato
Imagem: REUTERS/Issei Kato

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

15/11/2019 12h05

Antonio Giovinazzi está animado. Mesmo diante do peso de ser o único competidor da Itália [fora, obviamente, a equipe Ferrari] no grid da Fórmula 1, o competidor da Alfa Romeo se disse empolgado por estrear em São Paulo, justamente uma das cidades com maior comunidade italiana no mundo. A relação próxima dos dois países anima o atleta de 25 anos, que quer até provar uma iguaria paulistana.

Em conversa exclusiva com a reportagem do UOL Esporte, Giovinazzi se mostrou leve com carregar o peso de um tradicional país nas costas. Ele será o primeiro piloto italiano a completar uma temporada desde 2011, quando Vitantonio Liuzzi e Jarno Trulli estiveram em 18 das 19 provas.

O papo leve ainda teve espaço para provocações, especialmente culinárias. Afinal, seria possível a pizza de São Paulo ser mais gostosa do que a da Itália? O piloto quer aproveitar o fim de semana para tirar a própria prova.

"Os italianos fazem a melhor pizza, é claro. Sério que falam isso [sobre a pizza paulistana ser melhor]? Nunca comi a pizza daqui, mas irei provar, te prometo, aí respondemos essa questão [risos]", disse o piloto, bem-humorado, durante o papo na sala de convivência da Alfa Romeo.

Prestes a estrear no GP Brasil, Giovinazzi quer aproveitar algumas semelhanças entre os públicos brasileiro e italiano para alcançar o bloco intermediário do grid. De contrato renovado, o piloto usa as duas últimas provas do calendário para crescer ainda mais na categoria.

"É ótimo estar aqui. A paixão dos brasileiros lembra muito a dos italianos. Vim nos últimos anos para assistir e testemunhei uma atmosfera incrível. É bacana ver as pessoas animadas, dançando, como na Itália. Espero divertir o público com uma grande corrida", disse.

"É minha terceira vez aqui e as pessoas são muito legais, fora que tenho o Ayrton Senna como um ídolo. Vir aqui é muito legal e estou empolgado para a minha primeira corrida em Interlagos", completou.

Jerome Miron-USA TODAY
Imagem: Jerome Miron-USA TODAY

Antes de terminar o papo com a reportagem, Giovinazzi respondeu a mais uma provocação surgida durante o atendimento. Obviamente, por se tratar de Brasil e Itália, a conversa saiu do automobilismo para chegar no futebol em um momento.

"Quem tem maior tradição no futebol? Essa é mais difícil [risos]. Quantas Copas do Mundo vocês têm? Cinco? É, nós temos quatro. é por pouco... [risos]", brincou.

Na "caça" por uma boa pizzaria em São Paulo, Giovinazzi renovou contrato e seguirá na Alfa Romeo para a temporada 2020. O italiano carrega o peso de um longo jejum do país, que não vence uma corrida de Fórmula 1 desde 2006, com Giancarlo Fisichela, pela Renault.

Fórmula 1