PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Após polêmica, FIA instala zebras mais altas para manter pilotos 'na linha'

Largada do GP do México, com freada polêmica de Lewis Hamilton - Mark Thompson/Getty Images
Largada do GP do México, com freada polêmica de Lewis Hamilton Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, na Cidade do México (MEX)

26/10/2017 13h58

Depois de muita polêmica no ano passado - e vindo de mais problemas na última corrida com a ultrapassagem de Max Verstappen em Kimi Raikkonen, que gerou uma punição ao holandês - o diretor de provas Charlie Whiting estabeleceu mudanças no GP do México para assegurar que os pilotos respeitem os limites de pista.

Em 2016, Lewis Hamilton fritou os pneus logo na primeira curva e foi reto, mantendo a liderança. Muitos defenderam, contudo, que o inglês deveria ter cedido a posição a Nico Rosberg na ocasião por ter levado vantagem ao não fazer a curva.

Na parte final da curva, Max Verstappen fez manobra semelhante, mas foi punido.

Para este ano, foram instaladas zebras mais altas, com 5cm, do lado esquerdo entre as curvas 1 e 2 e também entre as curvas 2 e 3.
Além disso, Whiting deixou claro em uma carta enviada às equipes que os pilotos têm que dar a volta nestas zebras para voltar à pista, o que deve lhes custar tempo.

“Por questões de segurança, qualquer piloto que passar à esquerda ou em cima das zebras laranjas (as mais altas) deve voltar para a pista passando por fora das zebras laranjas entre as curvas 2 e 3”, explicou Whiting.

Um processo semelhante vai acontecer nas curvas 8 e 11, com novas zebras também sendo instaladas. Quem for para fora da pista nestas curvas e quiser evitar tais zebras também terão de passar por fora delas.

Confira os horários do GP do México
Sexta-feira
Treino livre 1: 13h
Treino livre 2: 17h

Sábado
Treino livre 3: 13h
Classificação: 16h

Domingo
Corrida: 17h

Fórmula 1