PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Bernie Ecclestone descarta criação de categoria 'concorrente' para a F1

Do UOL, em São Paulo

27/01/2017 17h26

Demovido do cargo de diretor-executivo da Formula One Management (FOM), Bernie Ecclestone ainda não tem futuro definido. No entanto, negou nesta sexta-feira os rumores de que poderia iniciar uma categoria para concorrer com a Fórmula 1, como chegou a ser especulado na imprensa europeia.

Ecclestone perdeu o posto de homem-forte da Fórmula 1 após a venda da categoria ao grupo Liberty Media. A partir de 2017, a categoria será encabeçada por dois “chefões”: Ross Brawn cuidará do lado esportivo, enquanto Sean Bratches assumirá o lado comercial.

Em comunicado enviado nesta sexta-feira à agência de notícias Reuters, Ecclestone afastou os rumores de uma possível “alternativa” à Fórmula 1.

“Eu construí o campeonato por quase 50 anos, e tenho orgulho disso. A última coisa que quero é vê-lo arruinado”, disse Ecclestone, que foi além e admitiu futuros novos rumos para a categoria.

“Os novos donos poderão conduzir a administração da companhia de maneira diferente da que eu fazia, que era produzir resultados financeiros para os acionistas, algo normal para um diretor-executivo. Fiz isto para os diferentes acionistas nos últimos anos e também durante o período em que detive 100% da companhia”, completou.

Apesar da saída, Ecclestone não demonstrou mágoa com os novos donos. “Espero que os fãs da F1 apreciem”, afirmou o agora ex-dirigente.

Também segundo a Reuters, Carey pretende cortar os custos da competição e introduzir uma distribuição mais igualitária de prêmios financeiros na F1, de forma a manter equipes mais equilibradas e competitivas a uma custo menor.

Apesar de descartar a possibilidade de criar uma concorrente à Fórmula 1, Ecclestou garante que não vai parar de trabalhar. “Não estou me aposentando”, disse o britânico, de 86 anos.

Fórmula 1