PUBLICIDADE
Topo

Milo Araújo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Dicas de alimentação vegetariana e vegana no ciclismo

Uma boa alimentação é importante para garantir fontes de energia durante o pedal e também depois, para a recuperação do organismo - LightFieldStudios/iStock
Uma boa alimentação é importante para garantir fontes de energia durante o pedal e também depois, para a recuperação do organismo Imagem: LightFieldStudios/iStock

07/01/2022 13h02

Fim de ano, dezembro, a eterna sexta-feira. Muitas festas: festa da firma, encontros com os amigos, muitas celebrações, bebidas, comilança. Ceia de Natal com a família, pavê com direito a piada ou não! Doces, muitos doces! Quem disse que vegetariano não enfia o pé na jaca? E o pedal? "Quando começar o ano eu volto". Mas e a alimentação? O que vou comer para poder render no pedal? O que comer antes, durante e depois?

Bom, andei pesquisando como ter uma alimentação vegetariana equilibrada para um bom rendimento no pedal e ainda dar uma enxugada no exagero do fim de ano. Uma boa alimentação é importante para garantir fontes de energia durante o pedal e também após, para a recuperação do organismo.

O que comer antes de pedalar vai variar de acordo com o tempo e a intensidade do pedal. Como os treinos costumam ser mais longos, tendo mais de uma hora, o ideal é fazer uma refeição com alta densidade de carboidratos ao menos uma hora antes.

Como essa refeição costuma acontecer pela manhã, é bom focar nas frutas. Ingerir uma boa porção de frutas com um pouco de melaço de cana e alguns grãos por cima, como chia, linhaça ou aveia sem glúten, é uma boa opção.

Se você gostar, a batata-doce é uma excelente fonte de carboidratos. Minha dica é consumir com uma colher de requeijão, fica uma delícia!

A vantagem de alimentar-se assim é que esses alimentos têm rápida digestão, fornecendo a energia que será utilizada nos primeiros 45 minutos do pedal. E, mesmo depois disso, o corpo vai continuar absorvendo mais lentamente outros alimentos, mantendo o pico de carboidratos depois de uma hora de atividade e gerando energia suficiente para mais de uma hora de pedal.

Durante a atividade física é super importante se hidratar, por isso não se esqueça de levar sua garrafinha de água.

Se o exercício durar mais de uma hora e meia, pode ser importante adicionar outra fonte de carboidrato para que você tenha bastante energia. Pode ser um sachezinho de mel para vegetarianos ou para veganos, melaço de cana ou você pode carregar um lanche feito com pão e pasta de amendoim. Ou também pode optar por frutas como uma bananinha, ou frutas secas como damasco, uva passa ou até mesmo um punhado de nozes ou castanhas, mas sem exagero!

Após o pedal devemos repor diversos nutrientes e a proteína é um deles. A gente pode encontrá-la em queijos (para os vegetarianos), em leguminosas como grão-de-bico, lentilha e no feijão. Também devemos repor os carboidratos que podem ser encontrados nos cereais como o arroz, que em combinação com o feijão dá uma bela reposição dos nutrientes básicos garantindo uma boa recuperação e até ganho de massa magra se consumido na quantidade ideal para esse fim.

Massas, aveia, granola, torradas, pães também são boas fontes de carboidratos — especialmente em suas versões integrais, eles garantirão nutrientes, fibras e vitaminas essenciais.

Esse foi um levantamento que fiz e que funciona para mim, mas claro, para melhor avaliar seu corpo você deve consultar o seu nutricionista para avaliar seu corpo como um todo e ver quais alimentos se encaixam melhor para você e sua rotina.

Que tenhamos um bom ano e bom pedal!