PUBLICIDADE
Topo

Clássicos 'ressuscitados' podem valer R$ 40 milhões; relembre cinco modelos

Rodrigo Mora

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigomobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.

Colunista do UOL

29/09/2020 08h00

(SÃO PAULO) - A inglesa Allard lançará um novo carro 62 anos após ter encerrado atividades, em 1958. Bem, não tão novo assim: com sete unidades fabricadas entre 1953 e 1955, um JR será reconstruído a partir de desenhos, gabaritos e peças originais guardados pelo fundador Sydney Allard e agora resgatados por seus filhos e netos.

O JR ressuscitado é uma réplica do que disputou as 24 Horas de Le Mans de 1953. Como naqueles tempos, leva sob o capô um motor Cadillac 5.4 V8 de 300 cv, acoplado a um câmbio manual de quatro marchas. No dia 31 de outubro, a RM Sotheby's vai levar o modelo a leilão, onde espera-se que seja arrematado por algo entre £ 180 mil e £ 240 mil (R$ 1,3 milhão a R$ 1,7 milhão). Se houver demanda, a empresa promete fazer mais exemplares.

Allard JR - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Pode ser um valor alto, mas perto do Project Gold, é uma pechincha. Há dois anos, a Porsche restaurou um 911 da geração 993 - reconstruindo, inclusive, o motor 3.6 biturbo refrigerado a ar original - e entregou à RM Sotheby's. Após 37 lances em 10 minutos, o esportivo foi vendido por 2.743.500 (na época, o equivalente a R$ 11,2 milhões).

Project Gold - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Que também é um valor "modesto" perto do que a Aston Martin cobra pelo DB4 GT Zagato Continuation: £ 6 milhões (R$ 38,7 milhões). Além do restauro minucioso - que inclui um motor seis-cilindros de 4,7 litros e 400 cv e as cores originais -, a fortuna inclui também um DBS GT Zagato zero-quilômetro. É isso mesmo: os dois carros serão vendidos apenas em pares - 19 no total.

Aston Martin DB4 GT Zagato Continuation - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Outra que relançou um ícone fora de linha foi a Land Rover. Em 2018, dois anos depois de encerrar a produção do Defender, a empresa lançou a versão Works do jipão, equipada com um 5.0 V8 que "homenageia os primeiros motores de alta potência, que equiparam tanto o Series 3, em 1979, quanto sucessivos Defenders". Todas as 150 unidades fabricadas, a £ 150 mil (R$ 675 mil na época) cada, se esgotaram em menos de um mês.

Land Rover Defender Workss - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Essa não foi a última investida do conglomerado inglês em clássicos. Tempos atrás, a Jaguar relançou nove exemplares do XKSS e, neste momento, oferece a E-type Collection. Para celebrar o 60º aniversário do esportivo, a empresa vai restaurar e pôr à venda, em março do ano que vem, 12 unidades que homenageiam os modelos que marcaram a estreia no Salão de Genebra de 1961, considerados os mais antigos e importantes na carreira de 14 anos do ícone inglês. Como os Aston DB4, serão vendidos apenas em pares: "Flat Out Grey 9600 HP" e "Drop Everything Green 77 RW". Preços não foram revelados.

Jaguar Classic 9600/77 - Divulgação/©JDHT - Divulgação/©JDHT
E-Types '77 RW' e '9600HP' em demonstração durante o Salão de Genebra de 1961
Imagem: Divulgação/©JDHT

Isso sem falar no DeLorean DMC-12, que pode voltar em 2021.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL