PUBLICIDADE

Topo

Sem Frescura: é mais saudável para o homem fazer xixi em pé ou sentado?

Mais Sem Frescura
1 | 25
Siga o VivaBem no

Gabriela Ingrid

Do VivaBem, em São Paulo

19/10/2020 04h00

Atenção, homens, eu tenho uma pergunta: vocês fazem xixi em pé ou sentados? Tenho certeza que a maioria vai responder que faz o "número um" em pé mesmo, afinal, além de ser mais prático é uma questão cultural. Mas será que é a melhor opção?

Em termos de higiene, fazer xixi em pé apresenta algumas vantagens, especialmente em banheiros públicos. Porém, em casa, sentar-se para fazer essa necessidade tem suas vantagens.

Uma das principais é evitar que a urina espirre ao redor da privada. Além disso, a posição também permite que a musculatura pélvica fique mais relaxada. Aqui, a diferença tende a ser mais sentida por quem tem alguma condição que incomode o ato de urinar, como a chamada hiperplasia prostática, que é o nome dado a um crescimento benigno da próstata.

Fora isso, urinar sentado ou em pé é mais uma questão de hábito e não tende a provocar ou evitar problemas de saúde. Mas alguns hábitos relacionados ao xixi podem, sim, causar problemas.

Segurar por muito tempo, por exemplo, pode fazer com que a musculatura da bexiga acabe prejudicada e também aumenta a chance de infecções urinárias. Além disso, o ideal é não fazer força.

Alguns sintomas na hora do xixi também podem ser indicativos de que algo não está bem. Jato urinário fraco e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga podem indicar problemas na próstata. Já ardência, incapacidade de segurar o xixi e odor fétido são sintomas típicos de infecções urinárias.

Por fim, um aumento no volume de urina é um dos sintomas de diabetes. Caso você experimente alguma dessas situações, o melhor a se fazer é procurar um especialista para averiguar causas e possíveis tratamentos.

Roteiro: Rodrigo Lara. Fontes: Alex Meller, urologista da Unifesp e do Hospital Israelita Albert Einstein; José Carlos Ibanhez, urologista do Hospital Santa Catarina; Herval Penalva Gomes, urologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo; Rodolfo Santana, urologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo e Supervisor do Cejam (Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim).