PUBLICIDADE

Topo

Cai número de hospitais privados com mais de 80% das UTIs ocupadas em SP

30.jun.2021 - iStock
Imagem: 30.jun.2021 - iStock

Nathan Lopes

Do VivaBem, em São Paulo

05/07/2021 08h54Atualizada em 05/07/2021 09h00

A quantidade de hospitais privados no estado de São Paulo com mais de 80% de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) caiu nas últimas duas semanas.

Entre 14 e 18 de junho, oito em cada dez hospitais relataram ter a ocupação acima de 80%. Entre 28 de junho e 2 de julho, a relação passou a ser de seis em cada dez.

O levantamento foi feito SindHosp (Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo), que ouviu 86 hospitais privados no estado, amostra que representa cerca de 22% do total da rede privada no estado, segundo o sindicado. O resultado foi:

  • No início de julho, 62% dos hospitais têm ocupação de leitos de UTI acima de 80% --na pesquisa de 28/06 a 02/07.
  • Antes, 83% de hospitais tinham ocupação de UTI acima de 80% --na pesquisa 14 a 18/06.

Pelo cálculo do sindicato, a queda verificada entre as duas pesquisas foi de 26%.

Sobre a faixa etária, 63% dos hospitais apontam que pacientes que ocupam leitos de UTI estão na faixa entre 51 a 60 anos. O tempo de internação em UTI é de 15 a 21 dias em 67% dos hospitais privados, de acordo com a pesquisa.

Quase quatro em cada dez hospitais (35%) possuem estoque de kit intubação para dez dias:

  • Menos de uma semana: 1%
  • Uma semana: 4%
  • Dez dias: 28%

Cerca de 32% dos hospitais têm estoque de oxigênio para dez dias.

Em nota, o médico Francisco Balestrin, presidente do SindHosp, disse que o cenário de queda na ocupação de leitos não deve fazer com que a população deixe de tomar cuidados.

O tempo frio, que pode trazer complicações respiratórias e outras infecções virais e a morosidade da vacinação contra a covid-19 podem novamente fazer crescer a contaminação pelo coronavírus.
Francisco Balestrin, presidente do SindHosp, em nota

Segundo o sindicato, houve uma inversão de tendências. Na pesquisa mais recente, 64% dos hospitais relatam que não houve aumento de internações nos últimos dez dias. Há duas semanas, entre 14 e 18 junho, foi o contrário: 66% dos hospitais relatavam aumento das internações nos últimos dez dias.