PUBLICIDADE

Topo

Covid: Brasil alcança 24,2 mi vacinados com duas doses, 11,45% da população

Mais de 24,2 milhões de brasileiros já receberam as duas doses de vacina contra a covid-19 - Cris Fraga/Estadão Conteúdo
Mais de 24,2 milhões de brasileiros já receberam as duas doses de vacina contra a covid-19 Imagem: Cris Fraga/Estadão Conteúdo

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

19/06/2021 20h05

O Brasil chegou à marca de 24,2 milhões de vacinados com duas doses contra a covid-19 neste sábado (19). Até aqui, a dose de reforço foi aplicada em 24.243.552 brasileiros, o que representa 11,45% da população do país. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseado nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 846.719 pessoas receberam a primeira dose de imunizante, com um total de 62.706.083 vacinados nesta fase inicial - o correspondente a 29,61% da população nacional. A segunda dose foi aplicada em outras 71.746 entre ontem e hoje.

Amapá, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Sergipe não enviaram dados atualizados sobre a vacinação até o fechamento do boletim do consórcio de imprensa, às 20h.

Vacinação nos estados - segunda dose 19/06 - UOL - UOL
Imagem: UOL

A aplicação de duas doses de vacina é uma recomendação dos laboratórios responsáveis pela produção da CoronaVac, Oxford/AstraZeneca e Pfizer/BioNTech para um combate mais eficiente à doença.

O Mato Grosso do Sul se mantém como o estado que, proporcionalmente, mais aplicou a primeira dose em sua população: 37,52% de seus habitantes.

Em termos percentuais, o Mato Grosso do Sul lidera entre aqueles que mais vacinaram com a segunda dose: 14,69% da população local.

Vacinação nos estados - segunda dose 19/06 - UOL - UOL
Imagem: UOL

Sem calendário nacional, promessas de vacinação variam pelo país

Nos últimos dias, estados e municípios têm antecipado as projeções de quando vão terminar de aplicar a primeira dose da vacina contra covid em toda a população adulta. Sem um calendário nacional unificado, uns prometem para agosto, já outros falam em setembro ou outubro.

Essa diferença ocorre embora os cálculos levem em conta a mesma fonte: o cronograma de entregas de vacinas do Ministério da Saúde —o qual, inclusive, não mudou significativamente da semana passada para esta.

É importante ressaltar que a distribuição de doses respeita o tamanho da população, ou seja, em tese, todos deveriam ter doses suficientes para a imunização em datas em um período semelhante.

Alguns estados preferem não fazer projeções por cautela em razão do histórico de promessas não cumpridas do ministério desde o início da imunização. E é justamente o grau de cautela que explica a diferença entre os calendários.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Você utiliza a Alexa? O UOL fornece informações à inteligência artificial por voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados do número de brasileiros vacinados contra a covid-19. Para saber sobre a vacinação no país ou no seu estado com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, quantas pessoas já foram vacinadas no Brasil?", por exemplo, ou "Alexa, quantas pessoas foram vacinadas?". Nos encontramos lá!