Topo

Viagem

Roteiros internacionais


Reims, no coração da terra do champanhe, oferece bem mais que a bebida

Place d"Erlon, em Reims (França) - Gregory Duval
Place d'Erlon, em Reims (França) Imagem: Gregory Duval

Luiza Vieira

Colaboração para o UOL

11/11/2019 04h00

Mesmo com os inúmeros rótulos de espumantes que temos no mercado, só pode-se chamar de champanhe a produção com essa denominação de origem, da região de Champagne-Ardenas, na França. O que muita gente talvez não saiba é que essa charmosa localidade francesa vai muito além da bebida.

Com um interessantíssimo roteiro histórico e cultural, a cidade de Reims, fica a cerca de duas horas de carro de Paris (aproximadamente 145 quilômetros) e é considerada a capital não-oficial da região.

Atraídos por passeios por vinícolas consagradas, como Ruinart, Don Perignon e Veuve Clicquot, os turistas têm oportunidade de conhecer muito mais que o mundo das uvas e das deliciosas degustações. Conheça dez pontos imperdíveis pela cidade, muito além das taças borbulhantes:

Catedral Notre Dame de Reims

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

A de Paris é linda e segue símbolo do país mesmo após o devastador incêndio de abril, mas esta também é de tirar o fôlego. Principal ponto turístico da cidade (é onde fica o letreiro oficial do Turismo de Reims, por exemplo), a catedral gótica do século 13 é parte do primeiro circuito tombado como Patrimônio da Humanidade, em 1991.

Maior que a prima famosa da capital, conta com uma imponente fachada em que estão incrustadas nada menos do que 2.303 estátuas, entre gárgulas, cenas bíblicas e figuras como anjos e santos. Atente para o "Anjo Sorridente", cuja feição reflete o movimento artístico da época.

Dica: de abril a outubro, é possível subir às torres. O tour deve ser reservado no Palácio de Tau, ao lado. Mais informações no site oficial.

Palácio de Tau

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

Ao lado da Catedral, este era nada menos do que o lugar onde eram coroados os reis da França - estão ali tesouros como o cálice de São Remi, do século 12, que armazenava o óleo sagrado com o qual os novos reis eram ungidos durante a cerimônia de coroação. Hoje um museu, impressiona pelo pé-direito e a magnitude de seus salões, alguns cobertos de imensas tapeçarias do século 15.

Mais informações no site oficial.

Museu de Belas Artes

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

Modesto, porém importantíssimo, no local é possível ver em silêncio, de pertinho e livre de turistas nomes como Eugène Delacroix, Renoir e Monet. São mais de 230 obras, entre pinturas, esculturas e objetos, do Renascimento ao Art Decó. Pertinho da Catedral, é instalado no prédio histórico da antiga Basílica de Saint-Denis, de 1913.

Mais informações no site oficial.

Rue de Vesle

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

Localizada no Centro, é a rua das compras. Concentra marcas de fast fashion, como Zara e H&M, e marcas locais. Uma dica: um pulo na Galeria Lafayette e você encontra de tudo! Se a pedida é tirar um tempinho para renovar o look e encontrar bons achados, vale um bater de pernas!

Place Drouet d'Erlon

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

Bares, restaurantes, cafés, doçarias... Essa charmosa praça, ladeada de alamedas arborizadas, reúne endereços gostosos para uma pausa, com mesinhas espalhadas pela calçada e a Fonte de Subé para completar o cenário.

Biblioteca de Reims

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

A Carnegie foi construída após o fim da Primeira Guerra Mundial. Abriga mais de 400 mil documentos, entre manuscritos - alguns medievais -, incunábulos, livros, cartazes, mapas e demais registros históricos. Mas mais do que a importância de seu acervo, a biblioteca é uma bela construção da década de 1920, em estilo Art Déco.

Mais informações no site oficial.

Abadia de Saint Remi

Gregory Duval
Imagem: Gregory Duval

Um pouco mais afastada, a 20 minutos a pé da Catedral, é mais uma das construções que deixam o visitante embasbacado. Um dos quatro Patrimônios da Unesco em Reims, foi construída no século 11 e expandida durante o seguinte para receber o maior número de fiéis possível. Portanto, é compreensível a grandiosidade de sua construção. São inúmeras abóbodas, vitrais do século 12 e um enorme órgão (esse, recente, dos anos 2000) que ocupa o centro do altar.

Dica: a basílica é rodeada por um belo jardim. Aproveite para curtir o gramado no entorno, com piqueniques ou apenas uma pausa no roteiro.

Mais informações no site oficial.

Museu de Saint Remi

Gregory Duval
Imagem: Gregory Duval

Encostado na Basílica, o legal desse museu é a escadaria do lado externo e, ao adentrar o enorme salão principal, descobrir uma escadaria ainda maior. Construído nos séculos 17 e 18, hoje mantém quatro grandes coleções permanentes sobre a história de Reims.

Capela Foujita

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

Obra do pintor Tsuguharu Foujita (o Museu de Belas Artes, aliás, guarda uma belíssima coleção dele), a capela marca a conversão do artista ao catolicismo. Originalmente Capela de Nossa Senhora da Paz, vale a pena investir num tour guiado para entender melhor cada detalhe dos afrescos de seu interior.

Mercado de Boulingrin

Carmen Moya/OT Grand Reims
Imagem: Carmen Moya/OT Grand Reims

Como todo roteiro que se preze passa por uma passada pelo "mercadão", em Reims não poderia ser diferente. O charmoso Les Halles du Boulingrin conta com barracas de tudo quanto é ingrediente, mas foque nos boxes de delícias locais, principalmente as boulangeries e pâtisseries.

Mais informações no site oficial.

Roteiros internacionais