Topo

Viagem

Roteiros internacionais


Paris mais barata: onde viver luxo da cidade sem estourar orçamento

Salon Proust - Vincent Leroux
Salon Proust Imagem: Vincent Leroux

Mari Campos

Colaboração para o UOL

26/09/2019 04h00

Ah, o glamour de Paris! Nas revistas de moda, nas fotos dos influencers no Instagram, no cinema e até nas novelas é frequente a cidade ser exibida através das janelas, quartos e salões de seus hotéis mais elegantes e luxuosos. Mas não é todo mundo que pode bancar uma estadia em um hotel deste porte ou nem quer investir cifras tão cheias de algarismos para o pernoite na cidade das luzes.

Isso não quer dizer que seja impossível aproveitar um pouquinho da atmosfera, do excelente serviço, da beleza, das vistas e, é claro, das delícias destes lugares.

Cafés, bares e restaurantes dos hotéis de luxo da cidade - inclusive seus "palácios", a distinção máxima na hotelaria parisiense, concedida a apenas 11 propriedades por lá - estão sempre abertos também para não-hóspedes.

As experiências não são baratas, mas permitem aproveitar um pouquinho dos serviços internacionalmente premiados e reconhecidos, assim como entender melhor a atmosfera de lugares lendários, como o Ritz Paris. Os preços abaixo foram consultados em setembro de 2019 e estão sujeitos a alterações.

O chá da tarde mais classudo

Com diárias que variam entre 1,5 mil e 23 mil euros (de R$ 6,8 mil e R$ 105 mil, aproximadamente) para seus quartos e suítes, o hotel mais famoso de Paris definitivamente não encaixa em qualquer bolso. Mas seu chá da tarde, por exemplo, pode ser um bom investimento para uma tarde inesquecível.

Salon Proust - Vincent Leroux
Salon Proust
Imagem: Vincent Leroux

Servido todos os dias das 14h30 às 18h no icônico Salon Proust (um dos mais belos e clássicos salões da hotelaria francesa), o "chá do Ritz", uma das mais tradicionais experiências da hotelaria parisiense, vale 68 euros por pessoa (R$ 311), incluindo patisseries perfeitas do chef pâtisser François Perret e um extenso menu de chás. A qualidade dos doces e salgados é indiscutível e o serviço é de primeira linha.

Chá da tarde que parece arte

Se o paladar estiver para doces delícias francesas, mas o orçamento for mais reduzido, é boa pedida apostar no charmoso Café Antonia, do Le Bristol. Parte do portfólio luxuoso da Leading Hotels of the World, o Le Bristol é outro dos clássicos palácios parisienses no coração da cidade.

Um dos belos doces servidos no Café Antonia - Divulgação
Um dos belos doces servidos no Café Antonia
Imagem: Divulgação

No Café Antonia, as impecáveis patisseries do chef Julien Alvarez, que mais parecem obras de arte, são servidas todas as tardes acompanhadas de um dos exclusivos chás da casa por 60 euros (R$ 274) para cada pessoa. Se o tempo estiver frio, é pedida certeira substituir o chá pelo espesso chocolate quente da casa.

Troque o jantar pelo almoço

Enquanto a hora do jantar costuma ser proibitiva nos restaurantes estrelados dos hotéis de luxo de Paris para viajantes mais econômicos, a hora do almoço pode, sim, caber nas carteiras mais magras.

Há opções charmosas e com valores nada exorbitantes nos restaurantes mais tipo brasserie dos hotéis, como a deliciosa Brasserie d'Aumont, do Hôtel de Crillon, ou o super informal Le Restaurant, do Brach Hotel. Comida de primeira linha, zero afetações e público majoritariamente local.

Se a ideia for celebrar uma data especial, vale investir em um dos restaurantes estrelados do hotel Four Seasons George V Paris, um dos maiores clássicos da hotelaria parisiense. No seu descolado e contemporâneo Le George, duas estrelas Michelin, um almoço de 3 etapas vale 65 euros (R$ 297). E o clássico e impecável Le Cinq do chef Christian Lesquer, três estrelas Michelin, oferece almoços irrepreensíveis de quatro pratos por 150 euros por pessoa (aproximadamente R$ 687, apenas um pouco mais do que o valor de um prato principal na hora do jantar).

Um dos pratos servidos no almoço do Le Cinq - Jean Claude Amiel
Um dos pratos servidos no almoço do Le Cinq
Imagem: Jean Claude Amiel

Outra maneira infalível de curtir a atmosfera e os ótimos serviços dos melhores hotéis da cidade sem precisar investir muito na experiência é apostar em seus bares. Bons drinques no Le Bar Botaniste do Shangri-la Paris, no discreto Bar 8 do Mandarin Oriental Paris, no moderno Le Charles do Le Burgundy Paris ou no sexy Le Bar do La Réserve Paris são diversão garantida - e certeza de coquetéis excelentes, elaborados por alguns dos mais destacados barmen da cidade.

Bar Botaniste - Maelle Saliou
Bar Botaniste
Imagem: Maelle Saliou

O Le Botaniste, por exemplo, tem menu com extensa seleção de drinques exclusivos da casa - e também o menu mais bonito, em capa dura, como um livro antigo. Apesar de estar instalado no primeiro andar do hotel, em algumas épocas do ano abre uma versão temporária em uma suíte do quarto andar, com vista para a Torre Eiffel.

Ousado e criativo, o Le Charles, do hotel Le Burgundy, é especializado na dupla coquetéis + tapas e criou um menu de drinques que substituiu os nomes dos mesmos por datas importantes na história Francesa, como o 1789, à base de vodca Guillotine e absinto, ou o 1911, que serve 3 bebidas diferentes preparadas com gin em tubos de ensaio.

Só um adendo importante: para todos os casos, inclusive os bares, reservar com antecedência é sempre altamente recomendável.

Roteiros internacionais