PUBLICIDADE

Topo

Sexoterapia #50: 8 passos para lidar melhor com as despedidas

de Universa

12/05/2021 04h00

Despedidas podem ser mais ou menos difíceis, dependendo das circunstâncias do término, mas nunca são fáceis.

Como você lida com despedidas? É possível fazer essa dor ser menor? Esse foi o tema discutido no episódio 50 do podcast Sexoterapia. Ana Canosa, sexóloga e apresentadora do podcast, dá alguns caminhos para tornar esse momento mais leve. Confira:

1. Ajuste o seu entorno antes de um rompimento

A dor de uma despedida é mais facilmente contornada por quem está bem no trabalho, tem amigos, está bem de saúde, mantém uma rotina de esporte, está se sentindo fisicamente e psicologicamente bem. "Aí você tem onde se agarrar, diz Ana. Quando todas as fichas da felicidade estão colocadas na relação afetiva, lidar com essa dor será muito mais difícil. "Isso é um alerta de o quanto é importante não postar todas as fichas de energia, alegria e felicidade nos relacionamentos", diz Ana.

2. Olhe para o futuro

O que o relacionamento te trouxe de bom, que aprendizados você tirou dele, como gostaria de agir daqui pra frente? Em vez de se despedir de um relacionamento remoendo as culpas que teve, a sua responsabilidade naquele término, pense como você fará no próximo relacionamento, como pode ser melhor, ajustar os comportamentos que você não quer repetir. "Isso traz uma outra perspectiva para uma nova relação", diz Ana.

3. Faça uma autoavaliação

Quando você é a parte que é deixada, a dor pode ser ainda maior. Ajuda muito na recuperação e aceitação do término se lembrar que nem sempre as causas do fim do amor tem a ver com você. Perceber que há outros fatores, independentes de você e de suas atitudes, relacionados ao término pode deixar tudo ais leve.

4. Respeite o espaço do outro

A parte que está sendo deixada em direito de não querer te ouvir, de ficar abalado e magoado. Respeite esse tempo.

5. Viva o luto

O luto faz parte do processo de cicatrização de qualquer perda. Sofra o que há para sofrer e abra espaço para que o sofrimento vire saudade. "Eu gosto de entender que cada capítulo de uma história vai deixando lembranças e saudades, que são referência de boas memórias", diz Ana. Despedidas são sempre difíceis, mas são também necessárias.

6. Afaste-se do outro

Pesquisas mostram que os términos estão mais difíceis por conta das redes sociais. Se a pessoa de quem você está se separando te traz más lembranças, te faz sofrer, afaste-se dela por um tempo. E isso significa, inclusive, bloqueá-lo de suas redes, para evitar o impulso de stalkeá-lo e sofrer ao ver qualquer traço de alegria do outro lado. "Quanto mais insegura a gente está, mais as redes sociais mexem com a gente", dizAna.

7. Crie uma boa narrativa sobre o fim

O que é que você vai contar sobre o fim da sua história? "Se a leitura que você faz da história é negativa — "eu perdi sete anos da minha vida..." — você está recomeçando muito ma;". diz Ana Canosa. Essa visão se reflete negativa se reflete na gente. Tenha generosidade com você mesma: crie narrativas positivas de flexibilização e de novas possibilidades, olhando para o futuro.

8. Encerre o ciclo

"Os relacionamentos precisam ser fechados com uma declaração de amor, de afeto e de vida", diz Ana. "Claro que a despedida de um amor, de um trabalho, de um país pode causar um luto grande. Mas temos que celebrar os que se foram, como os mexicanos." Claro que esse processo não precisa ser festivo, mas é importante celebrar a história vivida. "Isso vai te ajudar a entrar em um novo ciclo."

Para saber mais:

  • Fimes: Como superar um fora (Netflix); O casamento do meu melhor amigo; Professor Polvo (Netflix); Brilho eterno de uma mente sem lembranças
  • Séries: After Life (Netflix)

Acompanhe o Sexoterapia

Despedidas é o tema do episódio 50 do podcast Sexoterapia, que fala de sexo e relacionamento.

Nesse episódio, as apresentadoras Marina Bessa, jornalista, e Ana Canosa, sexóloga, recebem a editora de Universa Bárbara dos Anjos Lima.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir Sexoterapia, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube —neste último, também em vídeo.