PUBLICIDADE

Topo

Jovem de 22 anos fala de sua transição de gênero: 'Agora me sinto real'

Taylor Aves durante sua mudança nos últimos dois anos - Reprodução/Instagram
Taylor Aves durante sua mudança nos últimos dois anos Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa

04/05/2020 20h19

Uma garota de 22 anos, do Colorado, nos Estados Unidos, conhecida nas redes sociais como Taylor Aves, compartilha sua fase de transição de gênero, na tentativa de ajudar outras pessoas que passam pelo mesmo momento.

Ela faz terapia de reposição hormonal há cerca de um ano e compartilha os resultados do tratamento semanalmente em seu Instagram. Em relato para o site Bored Panda, Taylor conta sobre sua fase de mudanças e já sente os resultados.

"Acho que agora me sinto uma pessoa real. É como se tudo estivesse cinza antes. Eu estava vivo, mas não estava vivo, se isso faz sentido. Eu estava agindo como uma pessoa real e fazendo coisas que pessoas reais faziam, mas tudo parecia falso", começou seu relato.

"Mesmo logo após o início dos hormônios, a diferença foi surpreendente. Eu só tinha estrogênio no meu corpo por alguns dias e tudo havia mudado visivelmente. Era como se um alarme tivesse tocado na parte de trás da minha cabeça toda a minha vida e eu estava tão acostumado a isso que pensei que era normal, mas de repente ele se foi e pela primeira vez na minha vida eu podia realmente me sentir viva e ouço tudo com tanta clareza, sem o alarme abafando tudo", contou.

Em outro trecho do texto, Taylor conta sobre a adaptação ao novo corpo: "Meus músculos que eu odiava tanto (eu levantei muito peso na minha fase de negação) subitamente encolheram, meus seios estavam crescendo, minha pele estava mais macia e mais sensível ao toque. Eu batia meu peito na porta, porque eu não estava acostumada a ter algo lá para bater. Alguns meses depois, a mesma coisa começou a acontecer com meus quadris".

Ela também sentiu a diferença em sua parte emocional. "Comecei a experimentar emoções como sempre desejei. Eu experimentei emoções que nem sabia que existiam. Eu chorava com um meme fofo no Instagram ou uma história comovente de outra garota trans e parecia puro êxtase. Quando fiquei com raiva ou triste, não tive que engarrafar as coisas e deixá-las sair em rajadas de raiva. Eu podia chorar, sentir e experimentar a tristeza e senti-la lentamente derreter para longe de mim", revelou.

Para finalizar, ela disse: "Então acho que, em resumo, me sinto 'real' agora. Sinto-me feliz e agradecido por finalmente poder viver como uma pessoa real".

Diversidade