PUBLICIDADE

Topo

Advogada arrecada R$ 2.500 em vaquinha para trans de matéria de Drauzio

A detenta Suzy, mostrada em matéria de Drauzio Varella para o Fantástico - Reprodução
A detenta Suzy, mostrada em matéria de Drauzio Varella para o Fantástico Imagem: Reprodução

De Universa, em São Paulo

05/03/2020 09h35

A matéria de Drauzio Varella sobre as presas transexuais do sistema penitenciário brasileiro, exibida no último domingo no Fantástico, sensibilizou muita gente — a advogada Camila Ribeiro, de Porto Alegre (RS), foi uma delas.

Em resposta à reportagem, ela criou uma página em um site de vaquinha on-line para arrecadar dinheiro para "levar amor a Susy na penitenciária", se referindo a uma das detentas entrevistadas por Drauzio.

Com meta original de R$ 2.000, a campanha marcava R$ 2.542 arrecadados até a publicação desta reportagem. Agora, Camilla está decidindo o que fazer com o dinheiro. Ela contou ao jornal Extra que pretende visitar Susy em São Paulo no final de março.

"[A reportagem] foi um tapa na minha cara. Como eu, advogada, formada por uma faculdade elitista por meio de bolsa do Prouni, poderia ajudá-la?", questionou Camilla.

"Existem regras dentro dos presídios, como cor de sabonete, tipo de creme dental... Seria legal também levar coisas que possam dar à elas uma forma de fazer um dinheirinho. Uma chapinha de cabelo para alguém fazer nas colegas e cobrar. Não é só doar, mas instrumentalizar", explicou.

"Como profissional, tenho o privilégio de entrar no presídio sem a burocracia de um visitante comum. E quero ler o processo dela. Isso, claro, se ela quiser. O mais importante é a Susy e outras presas saberem que são queridas e podem ser ajudadas aqui fora", completou.

Diversidade