Topo

Diversidade


App gay vai pagar cerca de 900 mil reais por vazar fotos dos usuários

Aplicativo deixou vazar imagens e informações por brecha de segurança - Getty Images/iStockphoto
Aplicativo deixou vazar imagens e informações por brecha de segurança Imagem: Getty Images/iStockphoto

Da Unviersa

30/06/2019 18h04

O estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, condenou um aplicativo a pagar 240 mil dólares devido a uma falha de segurança que vazou centenas de fotos de usuários na internet. O Jack'd, app voltado a encontros entre homens gays e bissexuais, possui mais de 6 milhões de cadastrados no mundo.

A plataforma oferece um sistema que envia imagens a perfis que foram previamente selecionados. Ou seja: nem todo mundo vai saber que você está cadastrado.

Técnicos em segurança já tinham demonstrado um problema de segurança que não só expunha essas fotos privadas, mas também as localizações e outras informações de cadastro. Levou mais de um ano para que a falha fosse corrigida. Pela demora, a empresa foi obrigada a pagar uma multa equivalente a mais de R$ 900 mil reais aos cofres públicos.

A Online Buddies, dona da marca Jack'd, pediu desculpas e anunciou em comunciado que vai investir em melhorias de segurança.

Não é a primeira vez que uma brecha em aplicativo de encontros espalha informações dos usuários por aí.

O Ashley Madison, app usado para quem tem fetiche em traição, foi hackeado e multado em 2015 por vazar milhares de cadastros na rede. Roteiro semelhante aconteceu com o Tinder, aplicativo de encontros mais popular do mundo, no qual milhares de contas puderam ser descobertas e invadidas após um ataque ao Facebook no ano passado.