PUBLICIDADE
Topo

Bill Gates investe em máquina capaz de transformar fezes em água limpa

Bill Gates, fundador da Microsoft, bebe água potável de máquina que transforma dejetos humanos em água limpa e energia elétrica - Reprodução/Gates Notes
Bill Gates, fundador da Microsoft, bebe água potável de máquina que transforma dejetos humanos em água limpa e energia elétrica Imagem: Reprodução/Gates Notes

Do UOL, em São Paulo

09/01/2015 06h00

Uma máquina financiada pela Fundação Gates, do bilionário norte-americano Bill Gates, fundador da Microsoft, consegue transformar fezes humanas em água limpa e energia elétrica em apenas cinco minutos. Todo o processo foi documentado em um vídeo, narrado pelo próprio Gates, que fez uma visita à fábrica em novembro do ano passado, com o objetivo de começar um projeto-piloto em Dakar, no Senegal, na África ocidental.

O bilionário falou sobre a iniciativa em seu blog. O projeto, que se chama Omniprocessor, foi desenhado e construído pela Janicki Bioenergy, uma empresa de engenharia baseada no norte de Seattle, em Washington (EUA).

Em linhas gerais, o Omniprocessor funciona como um depósito seguro de resíduos humano que transforma o lodo do esgoto em água limpa, eletricidade e cinzas, segundo depoimento do presidente da Janicki Bioenergy, Peter Janicki.

Passando por grandes tubos, o lodo é processado e o vapor de água é separado do material sólido e seco. Na sequência, esse material passa por uma espécie de incinerador com temperaturas superiores a 1.000°C, que também produz vapor.

O vapor é direcionado então para um gerador que produz eletricidade capaz de alimentar a própria máquina e cujo excedente pode ser direcionado para uso da comunidade onde o Omniprocessor for instalado.  O vapor de água resultante do processo passa por outros tubos e volta ao estado líquido, resultando em água limpa e pronta para o consumo humano.

Nas palavras de Bill Gates, o processador de última geração é capaz de lidar com resíduos sólidos de 100 mil pessoas, produzindo até 86 mil litros de água potável por dia e de 250 kw de eletricidade. “Nosso objetivo é fazer com que os processadores sejam baratos o suficiente para que empresários de países de baixa e média renda queiram investir neles e, em seguida, iniciar um negócio de tratamento de resíduos rentáveis”, afirmou Gates em seu blog.

Segundo ele, o Omniprocessor será instalado inicialmente em Dakar, no Senegal. Para isso, os técnicos já fizeram contato com líderes locais e estão buscando o lugar adequado para o funcionamento da máquina. “Por que alguém iria querer transformar resíduos em água potável e energia eléctrica? Porque um número chocante de pessoas, pelo menos 2 bilhões, usam latrinas que não são devidamente drenadas. Outras simplesmente defecar a céu aberto. O lixo contamina a água potável usada por milhões de pessoas, o que traz consequências terríveis: doenças causadas pela falta de saneamento mata cerca de 700 mil crianças a cada ano”, explicou Bill Gates.

Tilt