PUBLICIDADE
Topo

Brasileira recebe prêmio de pesquisador que deu nome ao bóson de Higgs

Flavia Dias, pós-graduanda da Unesp, com Peter Higgs, em evento na Escócia no último dia 22 - Divulgação
Flavia Dias, pós-graduanda da Unesp, com Peter Higgs, em evento na Escócia no último dia 22 Imagem: Divulgação

Do UOL

Em São Paulo

28/08/2012 11h49

A estudante de doutorado brasileira Flavia de Almeida Dias, da Unesp (Universidade Estadual Paulista), ganhou o prêmio de melhor trabalho em física experimental de altas energias apresentado no 69th Scottish Universities Summer School in Physics, na Escócia, no último dia 22.

A escolha da melhor apresentação foi feita por uma comissão formada por diversos especialistas da área, dentre eles Peter Higgs, um dos pesquisadores que conceberam a existência do famoso bóson de Higgs, recém descoberto pelos experimentos do Cern (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), em Genebra.

Dias recebeu o prêmio das mãos do próprio Peter Higgs. “Fiquei muito honrada em ter sido escolhida para o prêmio de melhor trabalho em física experimental apresentado na escola, devido à ótima qualidade de todos os trabalhos expostos”, afirmou.

Ela trabalha junto ao experimento LHC (Large Hadron Collider), o acelerador de partículas gigante que também já foi chamado de "máquina do Big Bang". A pesquisa resultou, recentemente, no que os cientistas vêm considerando a prova da existência do bóson de Higgs.

Apelidado de "a partícula de Deus", o bóson de Higgs é considerado uma das matérias-primas básicas da criação do Universo. Ele teria sido responsável por transferir massa a todas as partículas que existem hoje, segundo uma teoria chamada Modelo Padrão.