PUBLICIDADE
Topo

Demissões, pagamentos e mais: os planos de Elon Musk para futuro do Twitter

Elon Musk no baile Met Gala, em Nova York, em 2 de maio de 2022 - ANDREW KELLY/REUTERS
Elon Musk no baile Met Gala, em Nova York, em 2 de maio de 2022 Imagem: ANDREW KELLY/REUTERS

Barbara Mannara

Colaboração para Tilt, do Rio de Janeiro

09/05/2022 16h59

Elon Musk arrematou o Twitter por US$ 44 bilhões. E, pelo jeito, as metas financeiras do homem mais rico do mundo para a rede social são ambiciosas.

Os planos de Musk para o futuro do Twitter foram divulgados por meio de um documento obtido pelo jornal norte-americano "The New York Times" na última sexta-feira (6). Em uma apresentação feita pelo bilionário a investidores, ele promete adicionar 931 milhões de usuários até 2028, e que a receita do Twitter vai quintuplicar nesse mesmo prazo.

Musk é conhecido no mundo dos negócios por seus sonhos audaciosos. O longo percurso que a marca Tesla percorreu até seus populares carros elétricos atuais poderia ser visto como impossível há alguns anos. Investir em uma empresa aeroespacial de foguetes como a SpaceX também se mostrou uma meta ousada, que inclusive tem conseguido transportar com sucesso astronautas até a Estação Espacial Internacional (ISS).

Mas bem aqui na Terra, pelo jeito, o foco de Musk atualmente é levar o Twitter para outro nível. Apesar das recentes polêmicas envolvendo a liberdade de expressão proposta por Musk para a rede social, a fonte de receitas da companhia também é motivo de preocupação para o empresário.

Para convencer os investidores do seu sonhado modelo de "tornar o Twitter mais divertido" e, pelo visto, mais lucrativo também, Musk apresentou um plano de ação para os próximos seis anos. Demissões e contratações também são citadas na apresentação.

Aumento de receita

A meta de Musk é de que, nos próximos seis anos, a renda do Twitter quintuplique. Ou seja, passe dos US$ 5 bilhões registrados ano passado, segundo relatório da rede social, para um total de US$ 26,4 bilhões em 2028.

No documento está a previsão do aumento da receita média do Twitter por usuário. Ele passaria de US$ 24,83 — no relatório de 2020 — para US$ 30,22 até 2028. No total, um acréscimo de US$ 5,39.

Fique tranquilo que essa é uma métrica comumente usada por redes sociais. Ela mede a quantidade de dinheiro que uma empresa espera somar considerando um cliente individual — e não gera custos necessariamente para o usuário comum.

Explosão de usuários: 931 milhões até 2028

Investir no Twitter Blue pode ser uma forma de atrair mais usuários para o Twitter. A experiência permite que o usuário personalize suas atividades na rede social por um valor de US$ 3 mensais. E Musk prevê que o serviço acumule 159 milhões de pessoas até 2028.

Isso deve afetar diretamente os números totais de perfis no Twitter. Atualmente a plataforma soma 217 milhões de usuários, segundo o relatório divulgado no ano passado. A meta é acrescentar 600 milhões até 2025 e alcançar 931 milhões até 2028.

Demissões e contratações

A permanência do time atual do Twitter ainda estava na zona cinzenta, mas os planos de Musk ficaram mais claros após a divulgação do documento apresentado aos acionistas.

Pelo jeito, o número de funcionários vai flutuar nos próximos seis anos, possivelmente pelas demissões e contratações de novos talentos. Mas a soma total ainda é maior que a atual.

  • Quadro atual de funcionários: 7.500 pessoas;
  • Meta para 2022: 9.225 funcionários;
  • Planos para 2023: 8.332 funcionários;
  • Planos para 2025: 11.072 funcionários;

Twitter vs Publicidade

Em 2020, foi divulgado que 90% da receita do Twitter vem de publicidade. A expectativa de Musk é que esse número seja reduzido para menos da metade. Ou seja, que a publicidade ocupe apenas 45% da receita total.

A previsão para 2028 é de que sejam gerados US$ 12 bilhões em receita com publicidade. Já as assinaturas devem somar praticamente US$ 10 bilhões na renda.

US$ 15 milhões em negócios de pagamentos

Atualmente, pagamentos no Twitter se resumem às compras e gorjetas dadas a perfis de influenciadores, sendo uma parcela pequena do faturamento da rede social. A expectativa de Musk é aumentar esse ramo e gerar US$ 15 milhões com pagamentos em 2023.

Ainda não foi divulgado como isso será possível, nem os planos de Musk para algum tipo de novo serviço na rede social. Mas para 2028, a meta nessa área é mais ousada: crescer para cerca de US$ 1,3 bilhão.

Vale lembrar que Musk já tem experiência de sobra nessa área. O empresário é fundador do popular serviço de transações financeiras digitais PayPal.

Misterioso Projeto X

Um novo produto, chamado apenas de "X", nem nasceu direito, mas já tem a meta de somar 104 milhões de assinantes até 2028. Apesar de ainda ser um mistério, o projeto pode ser voltado para uma experiência sem anúncios no Twitter.

No documento, o produto está programado para sair em 2023 e já espera arrecadar 9 milhões de integrantes neste mesmo ano. Seria algo na linha do YouTube Premium? Resta aguardar mais novidades.

US$ 9,4 bilhões de fluxo de caixa livre até 2028

Saiba que US$ 13 bilhões serão adicionados pelo Twitter em dívidas como parte do acordo de compra de Musk. E a ideia do empresário é pagar esse valor com o fluxo de caixa livre. Para entender melhor, esse é o dinheiro de manobra de uma empresa depois de realizados todos os pagamentos.

E para manter uma margem maior, Musk pretende aumentar esse caixa para US$ 3,2 bilhões em 2025. Em 2028, ele prevê chegar a US$ 9,4 bilhões, independentemente do volume de gastos operacionais.