PUBLICIDADE
Topo

Hackers atacam ferrovia da Bielorrússia para impedir suposta invasão russa

Hackers invadiram sistema do governo e transporte ferroviário foi afetado - Getty Images
Hackers invadiram sistema do governo e transporte ferroviário foi afetado Imagem: Getty Images

Simone Machado

Colaboração para Tilt, em São José do Rio Preto (SP)

27/01/2022 19h00Atualizada em 28/01/2022 14h56

Um grupo de hackers conhecido como Cyber-Partisans assumiu nesta semana a autoria de um ataque ao sistema ferroviário da Bielorrússia (Belarus) para, segundo eles, impedir que a Rússia enviasse suas tropas ao país.

Devido à invasão, as compras de passagens de trem e outros serviços realizados através do site da Belarusian Railways, estatal responsável pelas ferrovias do país, foram afetados. Além disso, agendamentos e o serviço de trens de carga também ficaram parcialmente fora do ar.

Os hackers anunciaram o ataque cibernético em posts no Twitter e no Telegram, e fizeram duas exigências para devolver o acesso aos dados sequestrados do sistema ferroviário: libertar 50 presos políticos que, segundo o grupo, estão precisando de assistência médica; e impedir a presença de tropas russas na Bielorrússia.

"O governo continua a suprimir o livre arbítrio dos bielorrussos, aprisionar pessoas inocentes, eles continuam a manter ilegalmente milhares de presos políticos. [Nosso] principal objetivo é derrubar o regime de Lukashenko [Aleksandr Lukashenko, presidente da Bielorrússia], manter a soberania e construir um estado democrático com o estado de direito, instituições independentes e proteção dos direitos humanos", disse um dos líderes do grupo Cyber-Partisans em postagem no Twitter.

Segundo o portal Ars Technica, a Rússia tem enviado militares e equipamentos por via férrea para a Bielorrússia, que faz fronteira com a Ucrânia. Críticos do governo russo, como os membros da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte, que inclui EUA, Reino Unido e parte da Europa Ocidental), acusam-no de querer invadir a Ucrânia e anexar seu território, o que a Rússia nega.

O Ministério da Defesa da Bielorrússia informou na segunda-feira (24) que as tropas russas continuaram a chegar ao país para uma grande atividade de treinamento no próximo mês, segundo informações do jornal americano Washington Post.