PUBLICIDADE
Topo

Água salgada do mar faz o sol queimar mais a pele?

Getty Images
Imagem: Getty Images

De Tilt, em São Paulo

24/01/2022 04h00

Você pode não se lembrar das aulas de físico-química, nem do conceito de osmose, mas certamente já ouviu falar que o sal tem a propriedade de "roubar" água. Não é à toa que depois de muito tempo na praia a pele e o cabelo ficam parecendo palha. Mas será que a água salgada também ajuda a turbinar o bronzeamento?

Segundo a dermatologista Flávia Ravelli, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a propriedade desidratante do sal nada tem a ver com o fato de nos queimarmos mais à beira-mar do que em outros locais. Ou seja: quem mora longe do mar não vai ficar mais bronzeado se tomar um banho de água salgada antes de lagartear na laje.

O bronzeamento (ou queimadura) da pele depende exclusivamente da incidência de radiação ultravioleta (UV). E, na praia, ela não vem apenas de cima para baixo, como pode parecer, mas também de baixo para cima, já que é refletida na areia e na água do mar.

"Outro fenômeno é que, quando a água evapora, a radiação também se reflete no sal marinho que fica em suspensão", acrescenta Ravelli.

Em outras palavras, na praia ficamos expostos a radiação ultravioleta por todos os lados.

"É por isso que dizemos que o mormaço queima", comenta.

E também é por isso que os dermatologistas sempre recomendam que as pessoas passem protetor solar mesmo embaixo do guarda-sol.

Na piscina também é possível receber uma dose extra de ultravioleta pela capacidade de reflexão da água, mas não dá para comparar com o que acontece na praia.

Vale lembrar que a neve também reflete UV, e ainda mais do que a areia. Por isso muita gente tem queimaduras graves no rosto quando vai esquiar.

Ressecamento

De qualquer forma, praia e piscina exigem cuidado redobrado com a pele. Se o sal desidrata a ponto de ser usado na conservação dos alimentos (com menos água há menos chance de micro-organismos se multiplicarem), dá para imaginar o que acontece quando ficamos muito tempo com a água do mar sobre a pele.

E o cloro também ajuda a ressecar. Se você ainda exagerar no sol, os danos vão ser grandes.

"Na praia ou na piscina, o sal ou o cloro ficam acumulados em maior proporção em algumas partes do corpo. O correto é que nos intervalos entre um mergulho e outro a pessoa tome uma ducha de água doce e, em seguida, reaplique uma valorosa quantidade de protetor solar, além de ser ideal ficar na sombra com chapéu ou boné", recomenda o dermatologista Marcelo Bellini, professor colaborador do Hospital do Servidor Público Municipal, em São Paulo.

"A ducha retira a maior parte de sal e cloro e, assim, garante uma pele mais hidratada e protegida."