PUBLICIDADE
Topo

Facebook e Instagram vão remover teorias da conspiração sobre coronavírus

Getty Images
Imagem: Getty Images

De Tilt, em São Paulo

31/01/2020 09h32

Horas depois de a OMS (Organização Mundial da Saúde) decretar "emergência sanitária global" por conta do coronavírus, o Facebook anunciou medidas para evitar a desinformação sobre o eventual surto.

Em comunicado, a empresa de Mark Zuckerberg afirmou que está "trabalhando para limitar a disseminação de informações erradas e conteúdo prejudicial sobre o vírus e conectar pessoas com informações úteis". A iniciativa se estende ao Instagram.

O Facebook disse que uma das principais medidas é checar a veracidade dos conteúdos. Se os moderadores da rede classificarem notícias como falsas ou como "teorias da conspiração", as publicações do tipo serão removidas.

A empresa citou exemplos de quando vai agir. "Isso inclui alegações relacionadas a curas falsas ou métodos de prevenção - como 'beber alvejante cura o coronavírus' - ou afirmações que criam confusão sobre os recursos de saúde disponíveis".

Além disso, a rede social promete enviar notificações para quem compartilhou - ou está tentando compartilhar - os boatos para servir como alerta ao usuário.

Outra medida a ser tomada é melhorar a conexão entre Facebook e Instagram com órgãos oficiais de saúde. A rede social vai servir como "ponte" para disseminar alertas da OMS. "Ajudaremos as pessoas a obter informações relevantes e atualizadas dos parceiros por meio de mensagens no topo do feed de notícias", indicou o comunicado.

Por fim, a empresa de Zuckerberg declarou que vai ajudar pesquisadores da Universidade de Harvard e da Universidade Nacional de Tsing Hua, em Taiwan, compartilhando dados de mobilidade e mapas de densidade populacional. O objetivo é ajudar na previsão para a propagação do vírus.

Google e Twitter também agem

Além de Facebook e Instagram, o Twitter e o Google, segundo a CNN, também intensificaram os esforços durante a semana para orientar os usuários a verificar as fontes dos conteúdos.

Ontem, o Google informou que atualizações da OMS vão aparecer no momento em que as pessoas buscarem informações sobre o coronavírus.

Já o Twitter divulgou que vai começar a solicitar que os usuários que pesquisam o assunto verifiquem, antes de qualquer coisa, os canais oficias de informações sobre a doença.