PUBLICIDADE
Topo

Monopod: bastão para câmera ajuda a 'encaixar' todos os amigos em selfies

Flávio Carneiro

Do UOL, em São Paulo

28/07/2014 06h00

Com a popularização do selfie, surgiram alguns acessórios para incrementar a prática do autorretrato. Um exemplo é o monopod (bastão para fotos também chamado de monopé), que resolve um problema comum nesse tipo de clique: braço curto demais para mostrar toda a paisagem ou os amigos na foto.

O item permite que o usuário acople o celular na ponta, usando um encaixe ajustado para o tamanho do aparelho. Assim, segurando na outra extremidade, a pessoa consegue obter um ângulo melhor para fotografar mais gente ou uma área maior da paisagem. Para disparar a câmera, o usuário pode programar o temporizador ou utilizar um ativador via Bluetooth.

Dicas sobre o monopod

  • Contraste

    Evite posições que fiquem contra a luz, pois elas escurecem a foto.

  • Sombra

    Tome cuidado com a sombra do monopod (ela pode cobrir o rosto).

  • Mira

    Verifique se a lente e o flash estão apontados na direção correta.

  • Possibilidades

    Use para registrar locais de difícil acesso e fazer fotos inusitadas.

  • Diga 'xis'

    Para o disparo, utilize o temporizador da câmera ou um aplicativo.

  • Valor

    O preço pode variar muito, mas começa em R$ 50. Por isso, pesquise.

Um exemplo de situação em que um monopod seria útil é o famoso selfie feito por artistas no Oscar 2014. Na ocasião, a própria apresentadora Ellen DeGeneres, idealizadora do clique, escreveu no Twitter: “Se ao menos o braço de Bradley Cooper [autor da foto] fosse maior”. Como seria improvável realizar o desejo de Ellen, o simples uso de um monopod já teria garantido que o ator Jared Leto não seria cortado.

Selfie do Oscar - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Provavelmente o ator Jared Leto (esquerda) não teria sido cortado da foto se um monopod tivesse sido utilizado no selfie do Oscar 2014
Imagem: Reprodução/Twitter

Para o editor de fotografia do UOL, Flávio Florido, o monopod também ajuda na hora de registrar ângulos inusitados. “Ele serve como extensão do braço e permite fazer fotos de uma forma inesperada, com um ponto de vista muito particular. Você pode fazer um selfie mostrando toda a multidão atrás, por exemplo. Ou usar o acessório em um lugar inacessível [clicar fora da janela em um prédio alto, por exemplo]”.

Monopod frango com batata doce - Reprodução/Instagram/frangocombatatadoce - Reprodução/Instagram/frangocombatatadoce
O casal do blog "Frango com batata doce" usa um monopod para clicar ângulos diferentes
Imagem: Reprodução/Instagram/frangocombatatadoce
Criadores do blog fitness “Frango com Batata Doce”, o casal Rodrigo Purchio, 24, e Roberta Pacheco, 23, passou recentemente a usar o acessório. “Compramos o monopod em uma viagem para capturar as paisagens bonitas ao nosso redor, deixar as fotos mais legais e buscar ângulos inusitados”, conta Purchio.

Depois de escolher um cenário interessante, alguns cuidados ajudam a melhorar a qualidade do selfie tirado com ajuda do acessório.

Entre as dicas de Florido estão certificar-se que a câmera está apontada para o local desejado, a direção do flash, tomar cuidado com a sombra do monopod (que pode ficar sobre o rosto do usuário) e evitar posições contra a luz (que escurecem a imagem).

O modelo mais conhecido é o da marca GoPro, que faz acessórios para filmagem e fotos de esportes radicais. Em uma pesquisa de preço feita pela reportagem na cidade de São Paulo, o monopod da fabricante saiu por R$ 290. No entanto, em uma cotação online, é possível achar itens semelhantes, de marcas menos conhecidas, a partir de R$ 50.

Mas há usuários que preferem não gastar dinheiro com o acessório e fazem gambiarras. Nessa hora até rodos, vassouras, pazinhas de lixo e qualquer outro tipo de cabo, associados a uma boa quantidade de fita adesiva, são “transformados” em monopods.