PUBLICIDADE

Topo

"Eu fiz com o coração", diz artista do grafite de Free Fire no Minhocão

DJ Alok, La Casa de Papel e até o pet Pandinha são referências de Free Fire em prédio no centro de São Paulo - Thaime Lopes/UOL
DJ Alok, La Casa de Papel e até o pet Pandinha são referências de Free Fire em prédio no centro de São Paulo Imagem: Thaime Lopes/UOL

Thaime Lopes

Colaboração para o START

11/09/2020 04h00

A paisagem urbana da cidade de São Paulo ficou um pouco mais viva no último domingo (6) com a inauguração de um grafite de Free Fire na região do Minhocão. Quem conhece o jogo vai identificar de cara as referências pintadas no prédio de 15 andares: o pet Pandinha, o DJ Alok, o avião do jogo e as skins da série La Casa de Papel, parceria mais recente da produtora Garena.

Quem assina a obra é o artista paulistano Ronah Carraro, que conversou com o START sobre Free Fire e a importância de trazer um pouco mais de cores para o cotidiano da cidade.

Steffie aprova essa mensagem

Ronah FF 2 - Thaime Lopes/UOL - Thaime Lopes/UOL
Ronah Carraro posa diante do prédio com o grafite de Free Fire
Imagem: Thaime Lopes/UOL

Vestido com o macacão típico dos personagens de La Casa de Papel, Ronah conta como foi o processo criativo: "Eu acompanhava Free Fire já, mas quando rolou a possibilidade do projeto, eu comecei a jogar imediatamente. Achei incrível, mesmo apanhando um pouco no começo", explica.

"Fui vendo os detalhes do avião, do paraquedas, para pensar na composição em geral do projeto." Conhecer La Casa de Papel também ajudou na hora de pensar na arte, pois Ronah já havia trabalhado com grafite no escritório da Netflix no Brasil.

Em parceria com o pessoal do NALATA, Ronah desenvolveu uma ideia para o mural, com total liberdade. Segundo ele, a Garena deixou os artistas trabalharem sua criatividade e estilos sem limitações. A partir do projeto inicial e das sugestões da desenvolvedora, o desenho final foi definido, com a presença de personagens como Kelly e Alok, referências à La Casa de Papel e até a aparição do Panda, um dos pets mais queridos do Frifas.

Eu acompanhava Free Fire já, mas quando rolou a possibilidade do projeto, eu comecei a jogar imediatamente
Ronah Carraro, artista

Ronah FF - Grazi Oliveira - Grazi Oliveira
Ronah conta que já conhecia Free Fire, mas foi imediatamente estudar o jogo quando a possibilidade do projeto surgiu
Imagem: Grazi Oliveira

Durante uma semana, Ronah e seus parceiros se penduraram ao lado do prédio que serviria como mural e trabalharam pesado para a arte ficar pronta.

Para Ronah, o mural gigante ajuda a trazer mais leveza para a loucura que São Paulo é. "Uma arte desse tamanho ajuda para na divulgação do meu trabalho e eu acho que torna a vida de quem mora aqui um pouco mais leve. São Paulo é uma cidade muito cinza e carregada. Eu amo aqui, mas uma obra dessas e outros prédios pintados trazem cor, reflexão e distração. A pessoa estar no trânsito e de repente ver uma obra de arte, é uma forma de receber uma energia positiva."

São Paulo é uma cidade muito cinza e carregada. Eu amo aqui, mas uma obra dessas e outros prédios pintados trazem cor, reflexão e distração
Ronah Carraro, artista

Na boca do povo

Enquanto o mural de Free Fire era finalizado, as pessoas que passavam por ali tiravam fotos e se mostravam curiosas.

Felipe Silveira, estudante de cinema de 23 anos, percebeu a movimentação perto do prédio. Quando perguntado se entendia alguma referência da imagem, ele disse que reconhecia as máscaras de La Casa de Papel, mas que "não via relação com o jogo [Free Fire]" porque ele "não é muito de videogame".

A resposta mudou completamente quando abordamos um tio e seu sobrinho, de 23 e 12 anos, respectivamente, que sacaram na hora que se tratava de algo relacionado ao Battle Royale.

Ulisses Castro, o tio, desconfiou que a arte era de jogo ao reparar no paraquedas. "Já joguei outros games do gênero e é normal que te joguem no mapa a partir de um avião com paraquedas, tipo Fortnite. Achei a arte muito linda, as cores são bem usadas e me sinto bem olhando para o mural", explicou o arquiteto.

Achei a arte muito linda, as cores são bem usadas e me sinto bem olhando para o mural
Ulisses Castro, arquiteto

Já seu sobrinho, Felipe Feitoza, foi mais a fundo: "acho que é da nova temporada de Free Fire de La Casa de Papel. Faz tempo que não jogo, mas parece ser disso. Reconheci a skin da Kelly, que é uma personagem de corrida, a faca que é usada no nome do jogo e também o paraquedas."

Ronah disse que ainda não sabe a reação da comunidade do jogo como um todo, mas que tem "recebido muitas críticas positivas, elogios e parece que a galera tá gostando bastante. Eu fiz com o coração, então estou bem feliz."

Bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao

Dois meses atrás, artes de capitais mundiais começaram a aparecer no Instagram do Frifas. Inicialmente ninguém entendeu nada, mas depois que foi revelado que tudo fazia parte da parceria com La Casa de Papel, fez sentido: os personagens da série possuem nomes de cidades, como Tóquio, Berlim e Rio.

Os teasers levaram à revelação do Plano Bermuda, que chegou ao jogo esta semana, trazendo acúmulo de tokens, caixas especiais e toda uma celebração inspirada por La Casa Del Papel, com a expectativa de uma grande revelação no próximo dia 19 (sábado).

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol