Topo

"Red Dead Redemption 2" terá novo destrave de missões e casas detalhadas

Red Dead Redemption 2 - Divulgação/Rockstar Games/Hobby Consolas
Red Dead Redemption 2
Imagem: Divulgação/Rockstar Games/Hobby Consolas

Do GameHall

07/05/2018 09h18

Após a revelação do terceiro trailer de "Red Dead Redemption 2", com várias novas imagens, alguns veículos divulgaram mais informações a respeito de como a jogabilidade funcionará no game.

Conversando com o site francês JeuxActu, o cofundador da Rockstar e diretor de arte, Rob Nelson, esclareceu que o jogo é bem diferente daqueles RPGs que usam um mapa repleto de marcadores. Os jogadores poderão destravar novas missões organicamente interagindo com os personagens não jogáveis (NPCs).

"Tudo deve parecer natural, sem nenhuma transição ou lag, para reforçar a sensação de imersão e conexão entre cada missão," disse Nelson. "Por exemplo, em um acampamento, uma simples conversa com um NPC pode resultar num assalto ao banco, ou revelar detalhes importantes sobre a história, bastidores, e assim liberar uma nova missão que o jogador pode querer fazer imediatamente ou depois."

LEIA TAMBÉM:

"Simplesmente sair do acampamento para buscar por suprimentos pode permitir ao jogador descobrir outras atividades interessantes ou outros objetivos. Tudo é feito para reforçar a sensação de encorporar o personagem Arthur, um fora da lei que faz parte de uma famosa gangue, isso sem mencionar que tudo precisa se manter o mais divertido possível."

As missões citadas por Nelson envolvem não apenas assaltar bancos, mas também interceptar trens, roubar pessoas, caçar e assim por diante.

"Há 1.001 maneiras de fazer dinheiro, mesmo fora das missões, de modos honrosos e menos respeitáveis também, para permitir ao jogador fazer o que ele quiser. Você pode matar pessoas para roubar o dinheiro delas, mas também pode ameaçá-las para conseguir o dinheiro menos violentamente."

A fauna em "Red Dead Redemption 2", como o cavalo usado como montaria e outros animais, irá se portar de acordo com as reações dos jogadores.

Divulgação/Rockstar Games/The Telegraph
Imagem: Divulgação/Rockstar Games/The Telegraph

"O cavalo tem um alto de nível de interação com o personagem, dependendo das suas reações. Isso também é válido com outros bichos. Na demo, você podia ver um veado pastando levantar sua cabeça enquanto Arthur se aproximava dele. Se você nunca é uma ameaça para ele, ele continuará comendo quietamente. Por outro lado, se você atirar, haverá várias animações diferentes."

A Rockstar também explicou que as residências em "Red Dead Redemption 2" terão interiores bastante detalhados, permitindo até mesmo que você entre numa casa, quebre a gaveta de uma mesa e roube as joias que lá estiverem.

"De grandes cofres até pequenos bolsos nos casacos das pessoas, você pode roubar tudo, sem nunca saber o que irá encontrar. Tentamos criar um mundo consistente no qual é possível pular e se segurar num trem em movimento a toda velocidade, entrar nos vagões, achar uma mala, abri-la, pegar o que tem dentro e sair do trem sem ser visto. Tudo isso será possível."

Divulgação/Rockstar Games/Game Pro
Imagem: Divulgação/Rockstar Games/Game Pro

Sistema de honra

Em outra conversa, desta vez com o jornal britânico "The Telegraph", Rob Nelson sugeriu a volta do sistema de honra e disse que o jogador poderá afetar as interações com os personagens nas cidades por meio de suas ações.

"Você poderá fazer coisas honrosas e aí quando for a uma cidade e todos conhecerem você por ter realizado essas coisas honrosas, realisticamente, como isso funciona? Ou se você faz coisas desonrosas e todos sabem que você é um bandido, isso faz sentido com a história que estamos contando sobre uma gangue que está sendo perseguida pelas autoridades?", indagou Nelson.

"Isso deve afetar as coisas e se faz sentido, você obterá descontos em lojas ou qualquer outra coisa - isso faz mais parte do lado 'jogo' das coisas - mas se isso não interfere com a maneira na qual você sente em que Arthur está interagindo com o mundo, então está ok."

Divulgação/Rockstar Games/The Telegraph
Imagem: Divulgação/Rockstar Games/The Telegraph

Nelson também explicou que aparentemente o jogador poderá impactar os caminhos individuais de cada membro da gangue.

"Há momentos onde o jogador está por conta própria," disse Nelson. "Mas há momentos onde o jogador poderá conhecer os diferentes membros da gangue, quem se dá bem com quem, quem não se dá, quem ajuda e quem faz o menos possível. Há tanta história em como os diferentes personagens chegam até onde estão no primeiro Red Dead Redemption, e até certo ponto o jogador tem decisão nisso com as ações que eles tomam."

"Red Dead Redemption 2" chega no dia 26 de outubro para PS4 e Xbox One. O jogo traz uma história com eventos que ocorreram antes daqueles vistos no título original. O jogador será o fora da lei Arthur Morgan, que precisa fugir das autoridades junto com a gangue Van der Linde, após um assalto dar terrivelmente errado.

Conheça os personagens de Red Dead Redemption 2

Mais Start