PUBLICIDADE

Topo

Dá pra acreditar? Jogar na altitude já fez diferença no "FIFA"

Wayne Rooney na Seleção inglesa: outros tempos - Divulgação/Electronic Arts
Wayne Rooney na Seleção inglesa: outros tempos Imagem: Divulgação/Electronic Arts

Théo Azevedo

Do UOL, em São Paulo

18/10/2017 04h00

Seja na Libertadores ou nas Eliminiatórias para a Copa do Mundo, a altitude é um adversário a mais para as equipes que, fora de casa, encaram partidas em La Paz, na Bolívia, ou Quito, no Equador, para citar dois exemplos. As cidades ficam, respectivamente, 3.640m e 2.805m acima do nível do mar.

O que nem todo mundo sabe é que a altitude já foi 'vilã' também na série "FIFA": mais especificamente, em "2010 FIFA World Cup South Africa", versão do game baseada na Copa do Mundo da África do Sul.

Veja também:

No jogo, além da Copa, era possível também disputar as Eliminiatórias e, no caso da América do Sul, partidas realizadas em estádios localizados em cidades altas podiam ser um terror para as equipes visitantes: se o time viesse de um país sem altitude, a resistência dos atletas esgotava mais rapidamente. Além disso, havia menos resistência no ar na trajetória da bola.

O recurso, no entanto, foi abandonado nas versões seguintes e virou praticamente uma 'lenda' na série "FIFA".

Procurada por UOL Jogos, a EA Sports disse que, no "FIFA 18", a altitude ainda não representa diferença ou altera circunstâncias no game.

Quem sabe, caso um dia o "FIFA" consiga a licença da Libertadores, a altitude não volta a influenciar também no videogame?

Conheça a história da franquia "FIFA"