PUBLICIDADE

Topo

"FIFA 18" levanta a bola: faz sentido ter um novo jogo de futebol por ano?

CONFIRA SETE NOVIDADES DE FIFA 18

Start

Théo Azevedo

Do UOL, em Los Angeles

11/06/2017 13h05

“FIFA 18” escancara o maior desafio pelo qual passam os games de futebol da atualidade: convencer o consumidor de que vale a pena, sim, comprar o jogo no lançamento.

Para isso, o primeiro passo é exaltar as novidades da próxima versão e, automaticamente, tratar a anterior (atual?) como se fosse algo completamente ultrapassado. Pode prestar atenção ao discurso dos executivos, recheado de nomes inventivos™ para coisas que jurávamos já serem possíveis executar há tempos.

É um pouco do que faz “FIFA 18”, quando diz que “aperfeiçoa os voleios” e a forma que os jogadores correm pelo gramado, seja lá o que exatamente isso quer dizer.

Na prática, as maiores novidades começam pela evolução do modo Jornada, que leva Alex Hunter para outros lugares do mundo, inclusive o Brasil, numa história dividida em seis capítulos e bem mais elaborada que a anterior.

O jogo também está mais bonito e fluído, além de introduzir pequenas e bem-vindas mudanças, como a possibilidade de fazer substituições sem ter que pausar o jogo (boa, EA Sports!). Gostei também da nova comemoração, que permite correr para os braços da torcida após marcar um gol (e sem levar cartão amarelo do juiz).

Só que, analisando cuidadosamente, nada disso é lá grande coisa: o modo Jornada, por exemplo, já fora introduzido em “FIFA 17”, assim como a tecnologia gráfica Frostbyte.

O que “FIFA 18” faz mesmo é promover melhorias em elementos consagrados, deixando a impressão de que faltou uma grande inovação desta vez.

Claro que o game continua sendo o paraíso dos boleiros virtuais, com uma vida útil longa graças ao multiplayer e, principalmente, ao modo FUT, que hoje é tão popular quanto o resto do jogo. Em suma, quem gosta de “FIFA” vai curtir “FIFA 2018”.

Você decide

Cabe a você decidir, no entanto, se o jogo vale o preço – entre R$ 210 e R$ 380 (!!!), dependendo da versão – cobrado no lançamento. Quem conseguir esperar alguns meses certamente será recompensado por promoções e descontos tentadores, seja no game em disco ou digital. É sempre assim.

Se as empresas de games cada vez mais enxergam os jogos como “plataformas”, com vida útil longa, será que ainda faz sentido um novo “FIFA” todo ano? Ou não seria melhor, de tempos em tempos, lançar pacotes pagos por download com as novidades, escalações e times atualizados etc?

Por enquanto, vai do jeito que está. “FIFA 18” sai para PlayStation 4, Xbox One e PC no dia 29 de setembro. O jogo terá também versões para Nintendo Switch, PS3 e Xbox 360.