Topo

"World of Warcraft" completa 10 anos; veja 10 curiosidades sobre o game

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

21/11/2014 18h38

"World of Warcraft" completará 10 anos de idade neste domingo (23), consagrando-se como o RPG online mais popular do mundo. Não é exagero: 100 milhões de pessoas já passaram algumas horas explorando o universo criado pela Blizzard Entertainment.

Quando "WoW" foi lançado, em novembro de 2004, a internet era bem diferente: não haviam smartphones, tablets, Facebook ou Youtube. O game rodava em processadores AMD Athlon 64 e no Pentium 4 da Intel. Jogos online gratuitos não eram sequer cogitados como modelo de negócio.

De lá para cá, pessoas que se conheceram no game tiveram tempo para se casar e ter filhos que já tem idade para jogar "WoW" também. O mundo, tanto real quanto virtual, mudou, mas "World of Warcraft" continua presente.

Inspirado em jogos como "EverQuest" e "Ultima", "World of Warcraft" se tornou o principal produto da Blizzard Entertainment graças ao modelo de assinatura paga para jogar. Mais do que isso, o game se tornou um estilo de vida para uma grande e apaixonada comunidade de jogadores.

Antes de "WoW", havia "Warcraft", série de jogos de estratégia em tempo real que fez a fama da Blizzard nos anos 1990. O primeiro "Warcraft", "Orcs & Humans" apresentou o mundo de Azeroth e a rivalidade (e semelhanças) entre as duas principais raças do cenário.

O sucesso de "Warcraft: Orcs & Humans" rendeu sequências e expansões: "Warcraft II: Tides of Darkness", "Beyond the Dark Portal" e por fim, "Warcraft III: Reign of CHaos" e "The Frozen Throne", que prepararam o terreno para a chegada do ambicioso "World of Warcraft".

Como nem todos que jogam "WoW" hoje tinham idade para curtir os clássicos jogos de estratégia da Blizzard nos anos 1990, a produtora colocou alguns dos principais momentos da saga na região das Cavernas do Tempo. Lá, é possível reviver momentos cruciais de "Warcraft" sob uma perspectiva bem mais próxima e pessoal.

Lançado nos EUA em 23 de novembro de 2004, "World of Warcraft". Desde então, o jogo recebeu 5 expansões e pode ser jogado em 244 países e territórios (entre eles o Brasil e a Antártida).

Em 2011, na época da expansão "Wrath of the Lich King", o jogo alcançou cerca de 12 milhões de assinantes, número que caiu bastante nos anos seguintes, mas voltou a subir em 2014, com a chegada de "Warlords of Draenor". Hoje, "WoW" tem mais de 10 milhões de assinantes.

Veja mais números de "World of Warcraft":

. Mais de 10 milhões de assinantes em 2014. Oficialmente traduzido para 9 idiomas, inclusive mandarim (China) e coreano. Cinco expansões: "Burning Crusade", "Wrath of the Lich King", "Cataclysm", "Mists of Pandaria" e "Warlords of Draenor". Com 100 mil páginas, a Wiki de "WoW" só é menor que a Wikipedia original. Seriam precisos 44 CDs para gravar toda a trilha e efeitos sonoros de "WoW". Os textos de "WoW" tem cerca de 6 milhões de palavras, o que equivale à 12 cópias de "O Senhor dos Anéis". O Google registra 50 milhões de buscas pelo termo "WoW" por ano. Já foram criados 500 milhões de personagens em "WoW". Esses personagens se reuníram em 9 milhões de guildas. "WoW" já passou 520 dias em manutenção, todas as terças-feiras

"World of Warcraft" já teve cinco grandes expansões, grandes atualizações que trazem novas áreas, raças e classes de personagem e levam a história do game adiante. Em cada expansão, o jogo é aprimorado e atualizado, recebendo ajustes nas mecânicas e novas atividades - isso explica como "WoW" não parece um jogo antigo, mesmo 10 anos depois do lançamento.

Hoje, ao comprar o jogo básico, você recebe junto 4 expansões: "Burning Crusade", "Wrath of the Lich King", "Cataclysm" e "Mists of Pandaria". Só a recém-lançada "Warlords of Draenor" precisa ser comprada separadamente.

Pela capacidade de atrair tantos jogadores fiéis, "World of Warcraft" é um daqueles jogos que consegue ir além do 'mundinho' dos games: "WoW" já foi homenageado em 'talk shows' nos EUA, foi tema de um premiado episódio de "South Park" e de dois episódios de "The Big Bang Theory".

Em 2012, o Homem-Aranha disse em uma HQ dos Vingadores que "joga com um Rogue nível 27 em 'World of Warcraft'". Celebridades como Willian Shatner, Jean Claude Van Damme, Jadem Smith e Vin Diesel são conhecidos como jogadores do game.

VEJA CLIPE DE "WE ARE THE WORLD (OF WARCRAFT)"

O ator Robin Willians, que morreu em agosto, era um jogador de "World of Warcraft". A Blizzard criou um personagem em sua homenagem na expansão "Warlords of Draenor".

A comunidade ao redor de "World of Warcraft" é tão apaixonada e fiel que a Blizzard realiza quase todos os anos uma convenção para reunir os fãs, apresentar novidades e celebrar o hobbie: a BlizzCon.

Para os fãs, "WoW" é um estilo de vida e isso é muito perceptível na BlizzCon. Os ingressos para o evento esgotam em minutos, meses antes das atrações (como a banda que tocará na festa) serem sequer anunciadas. A convenção também é dedicada aos fãs de "StarCraft", "Diablo" e outras franquias da Blizzard, mas são os gritos pela Horda e pela Alianças que estremecem o Anaheim Convention Center.

Atualmente, é possível acompanhar a BlizzCon pela internet, com a compra de um ticket virtual. Nos EUA, os fãs podem assistir as apresentações, painéis e torneios da convenção em um canal pago na DirectTV.

Ozzy Osbourne, Tenacious D, Foo Fighters, Offspring, Blink-182 e Metallica já se apresentaram no show de encerramento da BlizzCon.

"World of Warcraft" é muito elogiado pela 'lore', ou seja, pela mitologia e história que rola por trás das aventuras jogadas no game. Boa parte disso se deve aos romances de "WoW", principalmente os primeiros, que contaram com a participação de Richard A. Knaak, autor com larga experiência em outro universo de fantasia, "Dragonlance", tradicional cenário de "Dungeons & Dragons".

Foi nessa época que os dragões começaram a ganhar importância no mundo de "Warcraft" e o cenário bem elaborado da série de estratégia cresceu e se tornou um rico universo que, além do RPG online, ganhou livros, quadrinhos, mangás, um RPG "de mesa, dois jogos de tabuleiro, um card game e duas importantes derivações: "HearthStone" e um longa-metragem previsto para 2016.

No final de 2013, "World of Warcraft" não tinha mais o mesmo apelo dos anos anteriores: com uma base de jogadores em queda constante, parecia que a magia do MMo da Blizzard tinha chegado ao fim. Foi quando "HearthStone: Heroes of warcraft" apareceu. Um jogo de cartas digital simples, inspirado nos personagens, monstros e magias de "WoW". Feito por um time pequeno dentro da Blizzard, "HearthStone" conquistou um sucesso enorme e deve receber sua primeira expansão no começo de 2015.

Em "World of Warcraft", a HearhtStone é uma pedra que todo personagem carrega e tem a função de teleportar o jogador de volta para seu lar, onde quer que ele esteja. Com a ambientação similar aos primeiros anos de "WoW", acessível mas cheia de referências ao clássico MMO, "HearthStone" acertou em cheio os veteranos que estavam afastados de "WoW" - e pode ter influenciado o retorno de muitos desses jogadores.

Com "HearthStone" a Blizzard também experimentou pela primeira vez desenvolver jogos para plataformas móveis: o jogo já saiu para iPad e deve chegar em breve para tablets Android e em 2015 para iPhone e celulares Android.

ASSISTA AO TRAILER DE "HEARTHSTONE"; DUBLADO

Prova máxima de que "Warcraft" é maior do que o meio onde nasceu, o longa-metragem produzido pela Blizzard em parceria com a Legendary Pictures (de "Círculo de Fogo" e "Hitman") e a Warner Bros. é uma superprodução feita para rivalizar com "Avatar" e "O Senhor dos Anéis" na telona. O filme contará a história da guerra entre Orcs e Humanos (com 50% de tempo de tela para cada lado) e é dirigido por Duncan Jones, filho do cantor David Bowie.

O longa-metragem aposta em tecnologia de ponta para transmitir não só realismo visual nos Orcs gerados digitalmente, mas passar emoções como raiva, amor e tristeza. UOL Jogos assistiu uma pequena prévia de "Warcraft" na BlizzCon 2014 e o pouco que foi mostrado impressiona.

Enquanto os Orcs são feitos com captura de movimento e animações, os humanos vestem armaduras super detalhadas, que transportam o visual exagerado dos games para um ponto mais próximo do mundo real.

Nos EUA, "Warcraft" está previsto para 11 de março de 2016.

"World of Warcraft" chegou ao Brasil em dezembro de 2011, na época da expansão "Cataclysm". A Blizzard caprichou no lançamento, traduzindo todo o conteúdo do jogo, desde menus, descrições de itens e textos das missões até a dublagem completa do jogo. Foi uma tarefa enorme: "WoW" tem mais palavras do que 12 cópias de "O Senhor dos Anéis".

Apesar de alguns fãs antigos torcerem o nariz, a localização de "WoW" no Brasil foi muito bem feita, com a adaptação de nomes de personagens, conquistas e piadas para a cultura brasileira.

A recepção da comunidade brasileira, na época do lançamento, foi calorosa: os primeiros Reinos (servidores do jogo) nacionais lotaram em 48h e foi preciso abrir novos servidores para os jogadores brazucas.

Dez anos depois do lançamento, "World of Warcraft" continua dando bons resultados - foi o jogo online pago com melhor desempenho em 2013, por exemplo. O crescimento da base de assinantes após o lançamento da expansão "Warlords of Draenor" mostra que o MMO da Blizzard ainda consegue atrair jogadores.

Muitos jogadores se perguntam, porém, se a Blizzard planeja lançar algum dia um "World of Warcraft 2". Com o cancelamento do projeto "Titan", a produtora deixou claro sua intenção de não trabalhar em um novo MMO tão cedo, tanto que idéias de "Titan" foram aproveitadas no shooter online "Overwatch" - e o sucesso de jogos mais simples, como "HeartStone", ensinou a produtora que não é preciso depender de produções grandiosas.

Mas a produtora não deve abandonar "World of Warcraft" tão cedo. Mesmo que o número de assinantes nunca supere os 12 milhões de anos atrás, a Blizzard continuará dando suporte e produzindo conteúdo para "WoW" enquanto os jogadores quiserem. É o que disse Ion Hazzikostas, designer chefe de "Warlords of Draenor", em entrevista ao portal CNET. O designer acredita que "WoW" estará por aí pelo menos pelos próximos 10 anos.

"Eu não sei te dizer como o vigésimo aniversário vai ser, mas te garanto que vai haver um. Sem dúvida. Estamos planejando o futuro, falando sobre novas expansões, sobre os rumos da história, como podemos começar os preparativos desde já e pra onde queremos levar o jogo", disse o designer.

Mais Start