PUBLICIDADE

Topo

Para criador, primeiro "Assassin's Creed" é o jogo mais puro da série

do Gamehall

01/08/2012 20h09

"Assassin's Creed" se popularizou com a saga do italiano Ezio Auditore, a partir do segundo game, mas para Patrice Désilets, criador da série, o primeiro "Assassin's Creed" é o jogo mais puro da franquia.

"Gosto do primeiro 'Assassin's Creed' porque ele é o mais puro. Há várias histórias que você pode ter, mas elas ficam todas na sua cabeça. Você precisa criar suas próprias aventuras, enquanto em 'Assassin's Creed II' nós criamos as aventuras e o jogador as segue", disse Désilets ao site da revista Edge.

O criador também disse que gosta muito da poesia que existe em "Assassin's Creed", bem como a possibilidade de viajar livremente pelas cidades de Jerusalém, Acre e Damascus (nos outros games o jogador fica restrito a uma cidade) e outras regiões ao redor delas, algo que muitos jogadores sentem falta.

A liberdade de escolhas também é algo que chama a atenção de Désilets. Num determinado momento do game o jogador passa por um homem protegido por vários soldados, e quem opta por matá-lo é perseguido por eles. Há outra escolha, a de ignorá-lo - diferente de "Assassin's Creed II", onde há uma missão para todas essas pequenas situações.

O início da saga

O primeiro "Assassin's Creed" coloca o jogador no papel de Altair, um assassino que recebe a missão de exterminar figuras influentes que propagam a Terceira Cruzada.

Para cumprir os objetivos o jogador pode interrogar suspeitos ou roubar seus pertences para conseguir informações. Ao colocar a ação em prática, Altair quebra a cabeça e usa suas habilidades atléticas para se infiltrar em fortalezas bem protegidas, por exemplo, ou no meio da multidão.

"Assassin's Creed" está disponível para PC, Xbox 360 e PlayStation 3.

VEJA A VIDEOANÁLISE DE "ASSASSIN'S CREED"

  •