PUBLICIDADE

Topo

"Epic Mickey 2" sai no fim do ano e é musical dublado em português para Wii, PS3 e X360

Claudio Prandoni

Do UOL, em São Paulo

23/03/2012 07h01

Para muitas crianças, adultos e adolescentes, o ratinho Mickey Mouse já é o mascote mais querido em vários mundos, como o dos desenhos animados, brinquedos, gibis e, claro, parques de diversão.

Porém, o rei da Disney quer mais: Mickey Mouse agora mira com tudo o mundo dos videogames em alta definição com "Disney Epic Mickey 2: Poder em Dobro", que chega no final do ano em versões para PlayStation 3 e Xbox 360. O Wii, console que recebeu o primeiro game, também terá uma versão. Todas elas estão mais uma vez sob a responsabilidade da produtora Junction Point, um estúdio interno da Disney.

Melhor ainda, "Epic Mickey 2" chega totalmente dublado em português. "Achei um erro no primeiro jogo os personagens não falarem e quis corrigir isso na continuação", revelou Warren Spector, diretor da Junction Point, em entrevista ao UOL Jogos. "Agora todos os personagens falam e trouxemos até o roteirista Marv Wolfman [da clássica HQ "Crise nas Infinitas Terras", da DC] para criar os diálogos".

O título leva Mickey de volta ao Deserto (em inglês, Wasteland), um mundo onde vivem personagens esquecidos do universo Disney, como o cavalo Horácio, a vaca Clarabela e, principalmente, o coelho Osvaldo, primeiro personagem criador por Walt Disney e sobre o qual, durante décadas, a empresa não possuía os direitos autorais.

Epic Mickey 2
Epic Mickey 2
#dev_albumEmbed015('tagalbum','60836+AND+36439')

Uma série de estranhos eventos tem acontecido no Deserto, destruindo alguns lugares. No meio da confusão ressurge o Mad Doctor, um cientista maluco que fez papel de vilão no primeiro game e agora assume o papel de herói ("ou ao menos é o que ele diz", explica Warren).

QUEM É WARREN SPECTOR?

  • O diretor de "Epic Mickey 2" é um cara pouco conhecido fora do mundo dos games, mas tem uma longa carreira. Sua obra mais conhecida é o RPG futurista "Deus EX" e já trabalhou também em títulos de "Wing Commander", "Ultima" e "Thief".

    Depois de "Epic Mickey 2", sonha criar um novo game com os patos de "DuckTales". Sobre a responsabilidade de produzir jogos do Mickey, figura máxima da Disney, Warren reflete: "a pressão é muito grande, mas a emoção também; eles me deram as chaves para o reino da magia!".

Mickey e Osvaldo decidem unir forças mais uma vez para investigar esses mistérios e trazer a paz de volta ao Deserto. Warren Spector revela que "'Epic Mickey 2' é uma aventura completamente cooperativa, ou seja, Mickey e Osvaldo enfrentam a aventura toda juntos".

"Caso você jogue sozinho, Osvaldo é controlado por uma Inteligência Artificial, mas a qualquer momento outro jogador pode assumir o controle - e também parar de jogar a qualquer hora".

Mickey conta novamente com os poderes de um pincel mágico e pode usar tinta para desenhar elementos no cenário e solvente para apagar objetos e inimigos.

Já Osvaldo possui um controle remoto especial que serve para abrir portas e controlar os diversos robôs que habitam o Deserto.

No Wii e PS3, o jogo terá suporte aos controles de movimento Wii Remote e PS Move, enquanto o Xbox 360 ficará apenas com o joystick convencional - desta vez, nada de suporte à câmera Kinect.

Ainda sobre os controles, Warren promete ajustes radicais na câmera. Ela poderá ser controlada pelo usuário mas a idéia é que "ela se adapte tão bem às situações que você não precise mexer nela uma vez sequer".

Lidar com escolhas e suas consequências é uma marca registrada dos jogos de Warren Spector desde que o diretor se consagrou no primeiro "Deus EX" e a nova aventura do Mickey não fica de fora. "No primeiro jogo utilizamos apenas uma versão 'light' do sistema de escolha e consequência, pois estávamos preocupados que o público mais novo não entendesse ele muito bem", esclare Warren. "Agora que já introduzimos esse conceito, podemos ir ainda mais além com o peso que suas escolhas terão durante o jogo".

Outro aspecto marcante de "Epic Mickey 2" é que será um jogo musical. "A maior parte da história é contada por meio de canções, com personagens dançando, exatamente como vemos em muitos filmes clássicos da Disney", conta o empolgado diretor do game. Para isso, volta ao projeto o compositor Jim Dooley, do primeiro "Epic Mickey", que agora ganha o apoio de Mike Himelstein, experiente de várias temporadas cuidando da trilha sonora de desenhos do Mickey Mouse para TV.

Eles se juntam a uma imensa equipe de cerca de 700 pessoas que trabalham no desenvolvimento de "Epic Mickey 2". Para efeito de comparação dentro da própria Disney, o premiado e aclamado desenho animado "A Bela e a Fera", de 1991, contou com um time de produção de 600 pessoas.

Com mais de 2 milhões de unidades vendidas pelo mundo, o primeiro "Epic Mickey" se estabeleceu como o jogo mais vendido da Disney feito para apenas uma plataforma, mas não foi um sucesso arrebatador de críticas, graças a problemas com câmera e outras deficiências. "Epic Mickey 2": Poder em Dobro" busca resolver essas falhas e ainda ousa com jogo cooperativo, dublagem em português e a proposta de ser uma aventura musical.

VAMOS RELEMBRAR O PRIMEIRO "EPIC MICKEY"?

  • "Epic Mickey" saiu no final de 2010 como grande aposta da Disney exclusivamente para Wii. Após mais de três anos em produção, o título mostra uma história empolgante em que Mickey encontra seu "irmão mais velho", o coelho Osvaldo, em uma versão distorcida do parque de diversões Disneylândia.

    Entre ótimas ideias e outros conceitos mal executados, o game não foi exatamente um sucesso de críticas, mas vendeu muito bem, obrigado: cerca de 2 milhões de unidades, uma marca muito boa para um jogo third-party exclusivo do Wii.

     

Epic Mickey
Epic Mickey
#dev_albumEmbed015('tagalbum','39282+AND+16797')