PUBLICIDADE

Topo

Via Sacra: entenda por que os jogos atrasam no Brasil

CLAUDIO PRANDONI e THÉO AZEVEDO

da Redação

07/12/2011 09h30

O fim de ano não foi fácil para o gamer brasileiro que decidiu aderir às pré-vendas de jogos. Títulos como "FIFA 12", "Uncharted 3" e "Batman: Arkham City" atrasaram e as empresas responsáveis - Electronic Arts, Sony e Warner, respectivamente - não deram explicação ao consumidor. Ou quando deram foram justificativas rasas, como "problemas operacionais".

Outros casos emblemáticos de atrasos na temporada incluem "Battlefield 3", "Legend of Zelda: Skyward Sword" (Nintendo), "Assassin's Creed: Revelations" e "Rayman Origins" (Ubisoft).

Na tentativa de entender o motivo por trás de tantos atrasos, UOL Jogos entrou em contato com cada uma das distribuidoras citadas acima, mas apenas a Ubisoft respondeu, dizendo que no caso dos discos fabricados por aqui (como os de Xbox 360), a indústria ainda não tem capacidade para abastecer plenamente a alta demanda de final de ano.

Por sua vez, títulos importados sofrem com a alfândega brasileira, que demora mais para liberar os games que chegam durante o final de ano, visto o aumento de volume de importações causado pelo período de festas.

Nintendo e Warner se limitaram a repetir respostas dadas anteriormente - a primeira apontou "excepcionais condições climáticas", enquanto a outra culpou "questões operacionais". Já a Sony se recusou a dar explicação.

Mesmo as lojas não gostam muito de tocar no assunto. Dentre as procuradas por UOL Jogos, apenas a FNAC respondeu, sendo que a Saraiva não deu resposta e a UZ Games se recusou a dar declaração.

"O cliente vê qualquer falha como sendo do ponto de venda e vai culpar a Fnac pelo atraso, mesmo que nenhuma outra loja tenha o jogo também", explica a assessoria de imprensa da rede. "A Fnac pressiona e protesta contra estes atrasos. Tentamos até ir além, amenizando atrasos com, por exemplo, brindes não previstos na pré-venda".

Jornada dos games

Seja o jogo importado ou prensado no Brasil, ele enfrenta um longo caminho até chegar nas mãos dos jogadores. Conversando com diversos membros da indústria, UOL Jogos conseguiu recriar em linhas gerais essa odisseia, cujas etapas você conhece melhor no infográfico logo abaixo.

Vale destacar, o período de antecedência que o jogo começa a ser produzido na fábrica varia de empresa para empresa, mas, em média, apuramos que as cópias para venda chegam às distribuidoras cerca de uma semana antes da data oficial de lançamento.

E os meus direitos?

Segundo o Procon, com relação a jogos comprados em pré-venda e acabam atrasando, o consumidor tem o direito de cancelar a encomenda e receber 100% do dinheiro de volta. Nenhum tipo de processo é cabível nesta situação.

UOL JOGOS DISCUTE: VALE A PENA PRÉ-VENDA NO BRASIL?

  •