PUBLICIDADE
Topo

'Deus e o Diabo na Terra do Sol': Cinemateca exibe versão restaurada em 4K

Othon Bastos em cena de "Deus e o Diabo na Terra do Sol" - Divulgação
Othon Bastos em cena de "Deus e o Diabo na Terra do Sol" Imagem: Divulgação

29/06/2022 21h04

Uma versão restaurada do clássico filme brasileiro "Deus e o Diabo na Terra do Sol", de Glauber Rocha, é uma das atrações da Mostra Espetáculo Polêmica Cultura, que tem início amanhã.

A mostra, gratuita, é promovida pela Cinemateca Brasileira, em São Paulo, e celebra os 60 anos da SAC (Sociedade Amigos da Cinemateca). O evento fica em cartaz até o dia 10 de julho.

"Deus e o diabo na terra do Sol", a obra-prima de Glauber Rocha, foi restaurada em 4K e será exibida em 35mm no dia 6 de julho, às 21h, na área externa da Cinemateca. Nesse mesmo dia, duas horas antes da exibição, a equipe de restauro discute como esse trabalho foi feito.

Além desse filme, a mostra promove uma homenagem a Dante Ancona Lopez, publicitário, distribuidor de filmes e primeiro presidente da SAC. Ao longo do evento, familiares de Lopez vão doar o acervo do empresário à Cinemateca.

A mostra foi dividida em três blocos, que reproduzem a prática de programação da época. O primeiro desses blocos foi chamado de Grandes Estreias Nacionais e vai apresentar clássicos do cinema nacional como "Garrincha, alegria do povo", de Joaquim Pedro de Andrade, e "A hora e a vez de Augusto Matraga", de Roberto Santos.

Já o segundo bloco se dedica às grandes estreias internacionais, apresentando filmes de diversos países que já foram exibidos pela Cinemateca no passado. Fazem parte desse bloco filmes como A passageira, de Andrzej Munk e Witold Lesiewicz; Os subversivos, dos irmãos Taviani; Um Cão Andaluz e o Anjo Exterminador, de Luis Buñuel; Mickey One, de Arthur Penn; Cinzas e Diamantes, de Andrzej Wajda; e o raro O Crime da Aldeia Velha, de Manuel Guimarães.

No terceiro bloco serão apresentados filmes exibidos em inaugurações de salas de cinema que eram programadas pela SAC. Muitas delas já nem funcionam mais. Da inauguração do Cine Coral será exibido "Esses Maridos", de Luigi Comencini. Já do antigo Cine Picolino, será apresentado "Os Amantes de Florença", de Carlo Lizzani. Do Cine Scala, será exibido "Ópera dos Pobres", de George W. Pabst.

"Harakiri", de Masaki Kobayashi, foi o filme de estreia do auditório do Masp (Museu de Arte de São Paulo) e "Os russos estão chegando!", dirigido por Norman Jewison, é o filme que inaugurou o Belas Artes, cinema ainda em funcionamento na cidade de São Paulo. Da Sala Cinemateca será exibida uma versão restaurada de "A paixão de Joana D'Arc", de Carl Theodor Dreyer.

Ao todo, a mostra vai exibir 19 longas e um média-metragem, além de promover três mesas de debates. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início de cada sessão. A programação pode ser consultada nas redes sociais da Cinemateca Brasileira.