PUBLICIDADE
Topo

Gilberto Gil lembra reação inusitada em assalto: 'Poderia ter levado teco'

Gilberto Gil lembrou assalto em entrevista ao "Roda Viva", da TV Cultura - Reprodução/TV Cultura
Gilberto Gil lembrou assalto em entrevista ao "Roda Viva", da TV Cultura Imagem: Reprodução/TV Cultura

De Splash, em São Paulo

24/05/2022 00h16

Gilberto Gil, 79, lembrou uma reação inusitada durante um assalto em entrevista ao "Roda Viva", da TV Cultura . O artista afirmou que teve o "ímpeto" de discutir com os responsáveis por uma invasão em sua casa.

"Uma coisa de coragem, desafio. Três meninos nos assaltaram em nosso sítio, estávamos indo ao show do Ney Matogrosso no canecão. Eles entraram armados e tudo mais. Estávamos eu, Flora e uma amiga", contou durante o programa.

Eles perguntavam sobre o cofre. Eu disse: 'Procure. Não é você que está fazendo o serviço?'
Gilberto Gil no 'Roda Viva', da TV Cultura

Segundo o jornal Correio da Bahia, há um relato sobre o episódio no livro "Gilberto Bem Perto", lançado em 2013. A obra é assinada por Gil em parceria com a jornalista Regina Zappa.

O registro aponta que o assalto ocorreu em 1982, ano em que o cantor se casou com Flora Gil. Os dois moraram juntos em um sítio de Jacarepaguá, zona oeste do Rio.

"Foi uma questão de ímpeto e os músicos sempre brincam com isso. Mas foi 'vida real', dura. Realmente aconteceu. Eu poderia ter levado um 'teco' ali", concluiu o cantor.

Academia Brasileira de Letras

Gilberto Gil assumiu recentemente a cadeira 20 na Academia Brasileira de Letras. O artista lembrou que outros cantores também poderiam ter ocupado este posto no passado.

"Tom Jobim chegou a se inscrever e disputar uma vaga, mas ele desistiu em prol do Antônio Callado, que era muito amigo dele. Ele abriu mão da candidatura", afirmou.

"Heitor Villa-Lobos também deveria estar lá, representando este lugar entre o erudito e o popular. Ari Barroso, Noel Rosa. Muitos poderiam estar lá representando a oralidade cantada brasileira", opinou o artista.

Assim como Fernanda Montenegro, Gil passou a receber o salário e os cachês semanais — regulados conforme a presença em compromissos da Academia. Segundo apuração do UOL TAB, esse valor pode ultrapassar R$ 10 mil por mês.

"Resisti durante muito tempo, mas ao final aceitei e eles me aceitaram. Agora compartilham comigo a responsabilidade de insistir na popularização do acadêmico", concluiu.