PUBLICIDADE
Topo

Klara Castanho defende falar sobre bullying em novo filme: 'Se torna real'

Fernanda Talarico

De Splash, em São Paulo

22/09/2021 04h00

Quem nunca sofreu algum tipo de bullying que atire a primeira pedra. Ser zoado por colegas, principalmente quando você é adolescente, parece ser algo inerente ao rito de passagem de criança para um jovem adulto. E, mesmo que o assunto possa render consequências bastante sérias, é possível falar sobre ele de maneira leve. "Confissões de uma Garota Excluída", filme baseado no livro homônimo de Thalita Rebouças que chega hoje à Netflix, aborda o assunto ao acompanhar Tetê, uma menina de 15 anos, vivida por Klara Castanho, que é obrigada a mudar de escola e enfrentar novamente o bullying dos colegas.

Em entrevista à Splash, a atriz acredita ser bastante importante abordar o assunto. "Quando você fala sobre o bullying, ele se torna real. Então, as pessoas entendem que elas passaram por aquilo e podem achar ruim."

Para ela, é preciso falar do tópico de maneira leve, pois assim é possível trazer mais pessoas para o debate, sem expulsá-las da conversa.

Gabriel Lima, Klara Castanho e Marcus Bessa em Confissões de uma Garota Excluída - Laura Campanella/NETFLIX - Laura Campanella/NETFLIX
Gabriel Lima, Klara Castanho e Marcus Bessa em 'Confissões de uma Garota Excluída'
Imagem: Laura Campanella/NETFLIX

Por ser de uma maneira leve, você consegue colocar [o assunto] no centro da discussão. Quando você tenta enfiar na cabeça da pessoa que é errado, ela fecha os ouvidos. Quando você aborda de uma forma leve, você cria a discussão. Abordar isso mostra às pessoas que elas não estão malucas, e que elas têm o direito de se sentir mal com aquela zoação.

Para Thalita Rebouças, que também foi roteirista do longa, a história abordada é universal, e qualquer um poderá se identificar. "A Tetê é uma menina de 15 anos que poderia ser você, ser eu. É muito fácil se identificar com ela, por causa da família, das nóias. Em algum momento da vida, a gente passa por isso."

O grande barato da história da Tetê é que qualquer um poderia se identificar com ela.

Segundo a escritora, a personagem é um pouco do que ela própria viveu quando mais nova: "Me olhava no espelho e odiava".

Quando comecei a fazer o livro, pedi histórias de bullying nas redes sociais, caso alguém quisesse compartilhar, e recebi mais de 5 mil mensagens. A gente tem que falar sobre isso.

Marcus Bessa, o Zeca de "Confissões de uma Garota Excluída", acredita que além de ser importante abordar o assunto, é necessário exercer o amor-próprio para lidar com o bullying.

As pessoas não estão 100% atentas em você. Às vezes, elas não estão ligando para você. Por isso, é importante você se amar do jeito que você é.

Tetê passa por um processa de superação e transformação bastante relevante e importante ao longo do filme, e assim, lida de diferentes maneiras com o bullying. Para o diretor Bruno Garotti, a grande mudança da personagem não é física — não cai no clichê de se tornar uma outra garota apenas por não usar mais óculos — mas se baseia muito mais em se entender e respeitar.

Ela aprende a lidar melhor com o próprio drama, começa a se amar mais, e os problemas vão diminuindo de tamanho.

Cena de 'Confissões de Uma Garota Excluída' - Divulgação/Netflix - Divulgação/Netflix
Cena de 'Confissões de Uma Garota Excluída'
Imagem: Divulgação/Netflix

Beijinho no Álcool

As gravações de "Confissões de uma Garota Excluída" aconteceram durante a pandemia do coronavírus, o que adicionou diversos cuidados à produção. No entanto, nos protocolos foram encarados com bastante humor pelo elenco.

Um exemplo disso foi uma cena na qual Tetê imagina que está beijando os garotos de quem ela gosta, mas na realidade está dando uns amassos no espelho do elevador. Para Klara Castanho, o momento foi divertido, gerando o que ela chamou de "um beijinho no álcool".

A gente fez aquela cena muitas vezes. Foi um caos, mas foi muito divertido.

Em decorrência da dinâmica da sequência, a cena foi refeita diversas vezes. "E com todos os cuidados, porque estávamos no meio de uma pandemia". "O espelho era esterilizado a cada momento. Era quase que um beijinho no álcool. Foi uma experiência nova."

Com momentos dramáticos misturados a cenas divertidas, "Confissões de uma Garota Excluída" aborda assuntos relevantes para adolescentes, mas entretém o público de todas as idades, pois todos nós um dia já vivemos alguns dos dramas de Tetê.

Klara Castanho em 'Confissões de uma Garota Excluída' - Laura Campanella/NETFLIX - Laura Campanella/NETFLIX
Klara Castanho em 'Confissões de uma Garota Excluída'
Imagem: Laura Campanella/NETFLIX