PUBLICIDADE
Topo

Luciano Huck aborda pandemia e distanciamento social em novo documentário

Luciano Huck apresenta o "Caldeirão" - Reprodução/Globoplay
Luciano Huck apresenta o 'Caldeirão' Imagem: Reprodução/Globoplay

De Splash, em São Paulo

07/06/2021 12h30

O apresentador Luciano Huck retratou os tempos de pandemia e distanciamento social no documentário "2021: o Ano que não Começou".

Lançada hoje no Globoplay — aberta para não assinantes —, a produção também será exibida nesta noite no GNT, logo após o programa "Papo de Segunda", que contará com a participação de Huck.

O documentário aborda temas como desigualdade, educação, racismo e antirracismo, capitalismo, política, pobreza, tecnologia e família.

A pandemia levou o mundo a uma transformação involuntária e dolorosa. "2021: O Ano Que Não Começou" é parte do meu olhar curioso e de uma vontade legítima de escutar e aprender. Uma busca por ideias, pensamentos, reflexões e propostas que possam fazer do mundo um lugar possível, mais afetivo e eficiente. Para isso, fui em busca de referências globais do livre pensar e procurei construir pontes. O resultado foi surpreendente. Contou Luciano Huck

Idealizado por Luciano Huck, "2021: O Ano Que Não Começou" conta com direção geral de Guilherme Melles, direção de Fernando Acquarone, e roteiro Giuliana Vallone e André Brandt.

O documentário reune opiniões de De Rutger Bregman, historiador e autor do best-seller "Utopia para Realistas"; Thomas Friedman, vencedor de três prêmios Pulitzer e colunista do jornal The New York Times; Thomas Piketty, economista e autor do best-seller "O Capital no século XXI"; Esther Duflo, professora do MIT e vencedor do Prêmio Nobel de Economia em 2019; Preto Zezé, presidente da Central Única das Favelas (CUFA); Silvio de Almeida, advogado, filósofo e professor universitário; Luana Genot, fundadora e diretora-executiva do ID_BR; entre outros nomes.