PUBLICIDADE
Topo

Filha de Anderson defende 'dignidade' do pai: 'Nunca foi exposto assim'

Anderson Leonardo postou clique com a filha, Alessa, em comemoração aos 27 anos da primogênita; empresária defende integridade do pai em meio às acusações - Reprodução/Instagram
Anderson Leonardo postou clique com a filha, Alessa, em comemoração aos 27 anos da primogênita; empresária defende integridade do pai em meio às acusações Imagem: Reprodução/Instagram

De Splash, em São Paulo

23/02/2021 08h51Atualizada em 23/02/2021 08h51

A filha primogênita do cantor Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, saiu em defesa do pai contra a acusação de estupro que ele recebeu de um jovem de 21 anos.

Em entrevista ao jornal O Dia, Alessa disse que seu pai tem "caráter e dignidade de sobra" e que cabe ao público analisar a partir da carreira do cantor.

Poderia citar as inúmeras vezes em que meu pai, com pequenos gestos, mostra a sua personalidade e o quanto tem uma alma nobre, mas não posso influenciar ninguém pela minha visão de filha. Prefiro dizer que cabe ao público analisar os 34 anos de carreira artística que ele tem e nunca teve seu nome exposto de maneira negativa

A empresária, que comemorou seu aniversário com a presença do pai na empresa de festa em que administra, contou que a acusação não faz sentido considerando a personalidade do pai.

Alessa ressaltou ainda que "acredita na justiça de Deus" para que o caso seja esclarecido.

"Sobre as questões que envolvem meu pai, a única coisa que eu afirmo é que ele é um homem, com caráter e digno de todo respeito. Só fiquei pensando o quanto isso é contraditório à personalidade e ao caráter do meu pai. Dinheiro e fama não compram dignidade e caráter, isso nasce com a pessoa e tenho certeza que meu pai tem de sobra", disse.

Anderson confirmou em depoimento à polícia, na 33ª DP (Realengo), que teve relação sexual com o jovem, mas afirma que foi consensual. Ele diz que os dois se conheceram no aplicativo de relacionamentos Tinder.

Já o denunciante diz que que foi agredido e estuprado por Anderson em um motel em dezembro de 2020.

A polícia do rio de Janeiro segue colhendo provas e depoimentos para prosseguir nas investigações.