PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Em 2013, Walcyr e Marina tentaram omitir causa da discórdia em Amor à Vida

Marina Ruy Barbosa viveu Nicole em "Amor à Vida", primeira novela de Walcyr Carrasco para o horário das 21h - Reprodução
Marina Ruy Barbosa viveu Nicole em "Amor à Vida", primeira novela de Walcyr Carrasco para o horário das 21h Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

20/08/2020 19h13

Um problema ocorrido durante as gravações de "Amor à Vida", em julho de 2013, foi finalmente esclarecido, sete anos depois. Por que Walcyr Carrasco alterou abruptamente o rumo da personagem Nicole, vivida por Marina Ruy Barbosa?

A novela previa que Nicole descobriria que tinha um Linfoma de Hodgkin tipo 4 e, durante o tratamento, perderia o cabelo. Havia grande expectativa em relação a esta história pois a atriz teria que raspar a cabeça para mostrar de forma realista uma etapa da terapia de cura.

Em meados de julho, uma mudança drástica na trama foi revelada. Nicole não resistiria à doença e morreria, sem que Marina precisasse raspar o cabelo.

Mil hipóteses foram levantadas para explicar esta alteração, mas tanto Walcyr Carrasco quanto Marina Ruy Barbosa vieram a público negar todas as especulações. Em sua conta no Twitter o autor atribuiu a mudança a um pedido dos fãs.

"Amigos, tomei uma decisão: depois de tantos pedidos, não vou mais raspar a cabeça da Marina Ruy Barbosa. A história vai ficar linda, me aguardem. A Marina não vai mais raspar a cabeça porque todos vocês pediram e torceram por ela."

Já a atriz, em entrevista ao "Mais Você", de Ana Maria Braga, disse que não teve nada a ver com a decisão e que, se fosse necessário, teria raspado o cabelo.

"A novela é uma obra aberta. Eu sabia que existia essa possibilidade [de raspar]. Mas o Walcyr acabou decidindo junto com a equipe da novela que seria mais interessante contar o outro lado da história, que seria mais impactante".

Esta semana, em entrevista a Marcia Piovesan, no Instagram da "Caras", Walcyr reconheceu que a decisão de matar Nicole foi uma consequência da negativa de Marina raspar o cabelo.

Segundo o autor, a atriz "já havia aceitado cortar o cabelo" e mudou de ideia muito tarde, quando já não seria mais possível mudar o rumo da trama. Walcyr lamentou que Marina não a avisou "com antecedência" e, por isso, só lhe restou a opção de matar a personagem.

Já Marina, reconheceu que foi ela, sim, que desistiu de raspar o cabelo, mas por um motivo justo. Na sua visão, a trama não estava sendo tratada com seriedade necessária e a ação teria apenas um efeito de promoção da novela.

Disse ela: "Com as informações que eu tinha, de uma coisa estava certa: como atriz, não queria só o sensacionalismo. E como menina/mulher aos 17 anos, só valeria a pena se fosse pra tratar da doença com muito respeito e atenção, e fazer uma ação social sobre câncer linfático".

De fato, como registrei na época, "Amor à Vida" levantou 30 temas e não tratou nenhum deles com profundidade ou seriedade. A lista inclui obesidade, virgindade, autismo, alcoolismo, diferentes doenças (câncer, lúpus, aids), incesto, transtorno obsessivo-compulsivo, amor entre árabes e judeus, namoro de mulher mais velha do que o homem, assédio moral etc..

Esta história mostra, mais uma vez, que desmentidos oficiais não são necessariamente a pura expressão da verdade.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL