PUBLICIDADE
Topo

Leandro Carneiro

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

De Bonner à CPI da Covid: todos querem ser um pouco Gil do Vigor

Gil do Vigor está por todos os lados - João Cotta/Globo
Gil do Vigor está por todos os lados Imagem: João Cotta/Globo
Leandro Carneiro

Editor de Splash, viciado por qualquer tipo de reality show, inclusive aqueles que os famosos vivem na vida real. Jornalista há mais de 10 anos e palpiteiro desde sempre. Se o assunto for esporte entro em campo também.

Colunista do UOL

01/06/2021 12h11

Podem falar o que quiserem, Gil do Vigor é o brasileiro que todos querem ser um pouquinho. Ninguém viralizou tantas expressões como o ex-participante do "BBB 21".

Quem nunca falou "basculho" que atire a primeira pedra. Mas antes de arremessar, pare e pense: você já falou que alguém "tá lascado"? E que está "indignado"?

Se você tem qualquer dúvida sobre a influência que Gil tem na nossa vida, então, vá assistir à CPI da Covid-19. Até lá o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da comissão, cita nosso ex-BBB favorito.

Desse jeito, o Brasil 'tá lascado, meu irmão

Tudo bem, vou acompanhar o "Jornal Nacional" porque eu sou uma pessoa séria e não gosto de perder tempo com reality show de política. Mas William Bonner está "indignado". Aliás, sua ex-mulher, Fátima Bernardes, também esteve "indignada" no Encontro.

Você pode até focar em política internacional, mas não esqueça que Richie Floyd, americano candidato a vereador em São Petersburgo, na Flórida, é um clone de Gil. E ele já fez o tchaki tchaki (com uma dose de sotaque).

Onipresente

Não bastasse todo o vocabulário que Gil nos ensinou, para todos os lados que a gente olha, ele está presente. No comercial do "Fantástico" falando de banco, comendo chocolate em sua timeline, no rolê errado com Neymar, dançando no "TVZ".

Gil está por todos os lados. Para a nossa sorte.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL