PUBLICIDADE

Topo

Nudes, time feminino nos games: o que você não sabe sobre Gustavo Mioto

Mais E aí, Beleza?
1 | 25
Siga o UOL Mov no

Luzara Pinho

Colaboração para Universa, de São Paulo

27/04/2022 17h00

Um dos grandes ídolos do sertanejo na atualidade, Gustavo Mioto começou a compor aos 10 anos e hoje arrasta multidões em seus shows por todo o Brasil. No palco, sente-se em casa. "Quando lá, sou muito confiante. É a minha casa, subo e sinto que sou eu que mando, que sei o que vou fazer", conta Mioto à maquiadora Fabi Gomes no último episódio da temporada do "E aí, Beleza?", programa de Universa transmitido toda quarta-feira às 17 horas no Canal UOL.

A confiança em si mesmo vai além da emoção ao cantar, diz Gustavo. "Leio bastante coisa nas redes sociais, a galera tem carinho, elogiam. A gente vai ganhando certa confiança"., diz o cantor que ainda entregou qual o pedido que mais ouve dos fãs: "Nudes".

Além da paixão pela música, Gustavo é nerd assumido e adora videogame. Tanto que abriu uma empresa com o jogador de futebol Daniel Alves, para incentivar times femininos no mundo virtual. Amigas minhas que jogavam comigo reclamavam do cenário feminino, da falta de incentivo e de igualdade e vi aí uma oportunidade de abrir a empresa."

Veja a seguir a entrevista de Gustavo a Fabi, neste último episódio da temporada de "E Aí, Beleza?".

Como surgiu a ideia de ter um time feminino de videogame?
Durante a pandemia, nós da música ficamos totalmente parados. Tivemos que buscar outras coisas para que a gente não surtasse. Sempre fui muito nerd nesse ponto de videogames.

Saía da escola na época e sentava com o violão e o videogame ligado no quarto. Até que cheguei em um jogo onde acabei conhecendo quem jogava profissionalmente, joguei com algumas meninas na época. Então surgiu a oportunidade de abrir a empresa ao vê-las reclamarem tanto do cenário feminino, da falta de incentivo e de igualdade. Me veio a ideia de produzir só a área feminina do jogo.

Você dizia que se achava feio quando era mais jovem. Sua autoestima mudou de lá para cá?
Não achava, tinha certeza! A gente vai ganhando confiança. Você lê bastante coisa nas redes sociais, a galera tem esse carinho, elogiam. Mas, nunca me olhei como galã.

Quando você era mais jovem, fazia sucesso ou ficava mais de espectador das relações alheias?
Eu me virava bem. Sempre fui bom de conversa. Mas era desajustado, fora do esquadro total.

Depois de se tornar um cantor famoso, sua relação com a imagem mudou?
Acaba mudando porque é sedutor querer melhorar sempre. Tem coisas que você olha no espelho e sabe que poderia melhor, que não se sente confortável. Depois que as coisas começaram a dar certo, passei a dar mais atenção para a imagem. Eu era tranquilo, desleixado.

Que coisas são essas que você começou a prestar atenção?
Nunca me importei com o corpo. Minha questão sempre foi minha pele, sempre tive acne e era uma luta. A partir do momento que comecei a cantar, essa foi a minha sina, prestar atenção na pele.

Tomei medicamentos para controlar isso, mas até hoje tenho marquinhas de cicatriz. Isso me incomoda e que venho trabalhando para tentar tirar, fazendo alguns procedimentos.

Usa maquiagem para esconder ou só foca nos tratamentos?
Para as cicatrizes a maquiagem nunca ajudou tanto, no meu caso. Eu tenho muita olheira e sempre foi funda, desde adolescente. Para isso eu sempre tive que tapar, porque parece que cabe uma colher ali.

Você tem 24 anos. Sente que já se tornou um 'hominho' ou ainda tem chão?
A pessoa física, não acho que já seja um cara confiante, um homão. A pessoa jurídica, quando entro no palco, sou muito confiante. Ali é a minha casa, subo e sinto que sou eu que mando, que sei o que vou fazer.

Como lida com o fato de seu pai ser uma pessoa influente no meio sertanejo [Marcos Mioto é contratante de shows]? Já chegaram a relacionar o seu sucesso com o fato de ser filho dele?
Várias vezes. No começo, era muito pior. A galera falava que se acontecesse, seria por conta dele, que eu iria desistir. Quando a primeira música estourou, continuavam dizendo que era por conta dele e até hoje falam, mas menos porque a maioria das composições são minhas, sou eu quem está cantando, fazendo show. Hoje, me dão espaço para trabalhar assim. Ainda existem blogs, críticos que me amassam um pouco.

Qual a palavra que você mais escuta dos seus fãs?
Nudes. A gente sempre brinca que se eles compartilharem até chegar em 'tantos' [divulgar a música para ter grande alcance], vamos compartilhar nudes no Telegram dos fã-clubes. A gente bate as metas e a galera me cobra: "E agora, vai cumprir com a sua parte do trato?". Aí falo que estou indo para academia para conseguir um nude qualificado. Claro que não vou mandar.

Você já mandou para algum fã?
Não. Jamais!

O que você leva no nécessaire?
Eu tenho rinite e asma, então na minha nécessaire sempre tem remédio para o nariz, bombinha de asma. Sou alérgico a pelo de animal. Já aconteceu de chegar em hotel, camarins de shows e ter um tapete, algo assim que me fez mal e me dar crise de asma, então carrego uma bombinha para todos os lugares. Tenho perfume. Também levo os comprimidos antialérgicos e de estômago, porque na estrada nunca sabemos o que vamos comer, né?

Quando eu lembro, tenho um protetor solar de bolsa, sabonete para rosto. Quando estou muito focado, levo um sérum.

"Minha questão sempre foi minha pele, sempre tive acne e era uma luta minha", conta Gustavo Mioto - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
"Minha questão sempre foi minha pele, sempre tive acne e era uma luta minha", conta Gustavo Mioto
Imagem: Reprodução/Instagram

Você tem um cuidado com sua barba, mas soube de um perrengue com ela que passou antes de um show. Pode me contar?
A barba me ajuda demais, dá uma maquiada nas cicatrizes. Tem que passar um shampoozinho, um óleo, pentear para não ficar aqueles fios soltos. Eu faço a barba com maquininha de cabeleireiro. Eu distraído, falando sobre o show com meu pai, passei a máquina no zero no meio da barba. Eu sem barba sou horroroso.

Fico com a cara esquisita, de muito guri, perco uns seis anos. Tentei de tudo, fiz ornamentações na barba para tentar salvar o que tinha feito, deixar só o bigode, ou só a parte debaixo. Não teve jeito. No dia desse show, era dia do lançamento de um DVD muito importante, estava felizão, animado, convidados importantes. Justo naquele dia, em 24 anos da minha vida, tive que errar a passada na barba. Fiquei muito mal. Pode ser que estava precisando limpar a cara para começar um novo ciclo, né?

Você gosta de compartilhar sua vida com o seu público. O quanto compartilha? Já teve alguma situação que sente que teve muita invasão de fora?
Invasão terá sempre. É o ônus da coisa toda. Eu não sou um cara que divide muita coisa. A galera não sabe muito da minha vida pessoal exatamente porque nunca curti muito mostrar. Sempre achei que tinha que separar as duas coisas, a pessoa física da jurídica. Quando estamos em muito show e em processo de gravação, as duas 'pessoas' já se conflitam demais.

Às vezes, mostro na academia, com compositores aqui em casa fazendo alguma coisa, mas nunca abri demais até para manter certo interesse das pessoas. Quando a gente acaba mostrando demais, a galera não tem interesse em assistir uma entrevista como a nossa, por exemplo.

Você sente algum tipo de pressão por estar solteiro? As pessoas se acostumaram a te ver namorando?
Não sinto pressão. Sinto que quando sai alguma coisinha com uma pessoa ou outra que acabamos encontrando, já criam essas 'fanfics', puxam do rumor para o casamento. Na internet, acho que as mulheres sentem mais essa pressão do tipo: 'Está trocando de novo?' Nunca senti essa pressão, ao contrário de amigas minhas que sentem sem ter feito nada.

Ficaria com uma menina que 'tem fama' de ter saído demais?
Cada um faz o que quer da vida e se a menina é solteira e sai pegando todo mundo, esperta é ela. Burro é quem está xingando e chupando o dedo em casa enquanto ela está curtindo. A partir do momento que conheço e estou ouvindo ela falar sobre as coisas que pensa, o passado é só dela.

Qual foi a coisa mais excitante que já fez sexualmente?
Sempre gostei de água. Já rolou no mar, na piscina. Sempre mexeu comigo. Essas coisas de fazer com mais de uma pessoa, a gente sempre tem quando adolescente, mas já rolou.

O que falta fazer?
Se faltar, falta pouca coisa.

Vamos para um bate bola. Qual o seu maior medo?
Ficar sozinho.

Se você pudesse jantar com uma celebridade, quem seria?
Com o John Mayer

Qual o seu filme favorito?
O último "Vingadores". Sou bem nerd e gosto muito de filme de Super Herói. Maior bilheteria do cinema, tem que respeitar!