PUBLICIDADE
Topo

Com a recente abertura política, Mianmar começa a atrair mais turistas

19/02/2012 08h00

Em março de 2011, Justin Mott fotografou os templos e pagodes em Bagan (antiga capital de vários reinos de Mianmar, também conhecida como Pagan) e arredores, enquanto eleições profundamente falhas naquele país levavam a um novo presidente e, possivelmente, a um relaxamento das restrições de viagem. Mianmar vive sob um governo militar de uma forma ou de outra desde 1962, mas desde as eleições, os turistas começaram a chegar, ávidos para serem os primeiros a explorar o país à medida que se abre.

 
“O país é um paraíso para os viajantes, com todos os tesouros do Sudeste Asiático, mas sem tantos turistas”, escreveu Mott. “Para aqueles que acordam cedo, é possível ver os monges noviços com suas túnicas cor de açafrão, em composições perfeitas para um fotógrafo. Em qualquer lugar para onde se vá, raramente um sorriso passa sem ser retornado. É fácil esquecer que a amada recebedora do Prêmio Nobel da Paz, Daw Aung San Suu Kyi, esteve sob prisão domiciliar no país por grande parte das duas últimas décadas, antes de ser solta em novembro.”