PUBLICIDADE
Topo

Descubra 6 brechós imperdíveis para garimpar roupas em São Paulo

Natália Eiras

Colaboração para Nossa

26/06/2022 04h00

O coração de quem é fã de roupas vintage acelera quando percebe que está próximo de um brechó. Embora esse tipo de estabelecimento exista há décadas, é a geração mais nova que alimenta o mercado atualmente.

Adeptos do consumo consciente e de olho em peças marcantes e diferentes, jovens nascidos depois dos anos 2000 compram 10% mais roupas de segunda mão do que os millennials.

No terceiro episódio de "À Moda de Isa", Isa Scherer, campeã da última edição do "Masterchef", visita o brechó Agora é Meu (Rua Martinico Prado, 372, Vila Buarque) à procura de looks que combinem com o seu guarda-roupa e acomode a barriga onde a chef carrega gêmeos.

Formada em moda, Isa não é a única que sabe os tesouros que uma loja de itens antigos esconde. Confira mais lugares na capital paulista considerados imperdíveis por "brechozeiros" profissionais.

Melody Erlea indica >>
Minha Avó Tinha

Minha Avó Tinha - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Minha Avó Tinha
Imagem: Reprodução Instagram

É um casarão de vários andares na Lapa com roupas, móveis e acessórios de todas as décadas, do fim de século 19 aos anos 2000.

Vai lá: @minhavotinha. Rua Tomé de Souza, 100, Lapa. 9h/18h30 (seg. 11h/19h; sáb., 9h às 16h; fecha dom.)

Por que Melody começou a garimpar?

"As minhas primeiras aventuras foram no armário da minha avó. Eu dizia para a minha mãe que queria morar numa casa com sótão daquelas de filme para poder explorar as coisas e roupas guardadas lá. Minha mãe achava que eu estava ficando louca e me levou, quando eu tinha uns 12 anos, a um brechó. Eu me apaixonei pelas roupas únicas — e baratas!".

Aya Ueda indica >>
Vitrine Criativa

Evento do Vitrine Criativa - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Evento do Vitrine Criativa
Imagem: Reprodução Instagram

"É um coletivo de brechós, então há vários em apenas um lugar. Eles também organizam esporadicamente uma feira de brechós que é o sonho de todo viciado em garimpos".

Vai lá: @vitrinecriativabrecho. Rua Marquês de Paranaguá, 377, Consolação. Augusta 1940 10h/19h (dom. 11h/17h)

Por que consumir em brechós é tão legal?

"Comecei a garimpar tanto por ser a solução que eu achei para diminuir meu consumo de fast fashion como por questões econômicas. Os preços das lojas comuns estavam inacessíveis para mim. Nos brechós, consegui encontrar roupas estilosas sem gastar muito. A melhor parte é ter aquela emoção de nunca saber o que encontrar".

Sempre que entro num bazar, vem uma ansiedade, um friozinho na barriga".

Tabita Tonin indica >>
Brechó Vó Judith

Brechó da Vó Judith - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Brechó da Vó Judith
Imagem: Reprodução Instagram

"Tem peças absolutamente exclusivas. Além de que o cuidado com as peças é muito diferente de tudo que eu já vi!"

Vai lá: @brecho_vojudith. Rua Cayowaá, 2304, Perdizes. 10h/18h (dom. 10h/15h)

Como começou a usar peças antigas?

"Sempre tive um apego por coisas vintage, como camisas e calças de alfaiataria. Usava muita roupa que era da minha mãe e tinha referência de looks de outras gerações. Algumas peças eu só encontrava em brechós, mas a maior questão foi financeira. Não tinha dinheiro para comprar em lojas de fast-fashion e conseguia encontrar muita coisa em grupos de Facebook e brechós físicos".

Ligia Romão indica >>
Brechó Itinerante

Brechó Itinerante - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Brechó Itinerante
Imagem: Reprodução Instagram

"Cami, a responsável, garimpa muita peça vintage e também faz upcycling de tecidos. Vale a pena marcar uma hora para conhecer o espaço."

Vai lá: @brechoitinerante. Avenida 9 de Julho, 915, Bela Vista. Apartamento 31. Visita sob hora marcada.

Por que comprar em brechós?

"A gente vê lojas lançando coleções toda semana. É muita roupa! Quanto mais eu pesquisava, mais ficava horrorizada e percebia que não queria mais contribuir para isso. Em 2017, fiquei três meses só usando 33 peças de roupa. Depois desse desafio, percebi que não precisava comprar roupas de fast fashion ou shopping".

A originalidade também é importante para mim. Não gosto de sair na rua e ver alguém usando a mesma roupa que eu. O brechó te dá essa oportunidade, porque tem peças únicas".

Matheus Elisei indica >>
Casinha Brechó

Casinha Brechó - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Casinha Brechó
Imagem: Reprodução Instagram

"Ele tem uma seleção bem ampla, não é muito nichado e nem de luxo. Dá para encontrar bons achadinhos mundanos."

Vai lá: @casinhabrecho. Av. Guilherme Giorgi, 758, Vila Carrão. 10h/18h (fecha dom.)

Qual foi o seu achado mais especial?

"Um sobretudo cor-de-rosa com ombreiras. Foi o primeiro item que garimpei, ainda na faculdade da moda, quando passei a me interessar pelo potencial dos brechós. Também adoro acessórios. Morei no último ano em Budapeste e, toda vez que viajava, tentava encontrar uma bolsa em brechó para levar para casa. Agora, vejo os itens em casa e penso nas pessoas com quem estava, nos momentos bons que passei naqueles dias".

À moda da Isa Scherer

À moda da Isa - Brechó - Mariana Pekin/UOL - Mariana Pekin/UOL
Imagem: Mariana Pekin/UOL

Não perca os próximos episódios de 'À moda da Isa'. O programa que reúne rolês atrativos e receitas criativas vai ao ar toda quinta-feira, às 11 horas, no UOL Play.

Perdeu o horário? Não tem problema. Confira a playlist completa sempre que quiser no YouTube de Nossa!