PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Posse de Bola #111: Brasileirão limita troca de técnico e São Paulo gasta

Do UOL, em São Paulo

26/03/2021 13h00

O Campeonato Brasileiro 2021 teve sua tabela apresentada e também uma novidade em relação às trocas de técnicos, com o regulamento permitindo apenas uma contratação de um novo treinador no caso de demissão, ao mesmo tempo em que um treinador só poderá se demitir uma vez, mudanças que causaram discussões contra e a favor mesmo entre os dirigentes de clubes e os profissionais interessados, assim como entre jornalistas.

No podcast Posse de Bola #111, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira debatem sobre a novidade, que é vista como um teste válido por parte de Arnaldo, que cita como exemplo a limitação que os próprios jogadores têm de inscrição após atingirem um número de jogos, assim como não podem atuar por mais que dois clubes.

"Vejo mais como um artigo de um regulamento especifico, assim como tem em relação aos jogadores, que são impedidos de disputar o campeonato por mais de dois times ou até por dois times se ele estourar o número de partidas, é uma cota de partidas, está lá no regulamento, então ele também interfere na vida dos jogadores o regulamento do Campeonato Brasileiro, da ruptura de contrato ou não, ele impede que um jogador defenda três equipes, está lá no regulamento, como impede que o técnico agora defenda três equipes, é assim como jogador", explica Arnaldo.

"Isso funcionou um pouco na Itália, funcionou não, foi testado um pouco na Itália, todo mundo falava 'olha que coisa exemplar na Itália', falávamos aqui", completa.

Mauro Cezar ressalta que ele já não defendia a medida quando foi adotada pelo futebol italiano e se coloca contrário ao que considera um privilégio aos treinadores no momento em que os trabalhadores em geral têm direitos reduzidos no Brasil.

"Eu sou totalmente contra isso aí, ainda mais para proteger essa categoria de técnico de futebol. O Menon escreveu muito bem aqui no UOL sobre isso, é uma categoria que agora tem essa proteção, que ninguém tem, o trabalhador normal nem tem mais carteira assinada, 13º, nada e esses caras tem agora ainda essa proteção especial, é uma brincadeira", diz Mauro.

Arnaldo diz ver a tentativa como válida no sentido de que pode fazer com que os próprios dirigentes façam um planejamento melhor para a temporada em relação ao treinador, sabendo que a troca será limitada durante a principal competição nacional.

"Vai obrigar ou pelo menos forçar um pouquinho, talvez seja a única medida benéfica dessa situação, o cartola que normalmente não entende de futebol a pensar com um pouco mais de cuidado quem ele vai contratar para dirigir o time dele", diz Arnaldo.

"É a questão lá no início, você está satisfeito com o seu técnico? Antes de contratar, é melhor você pensar bem em um pelo menos médio prazo em um campeonato de nove meses, em o que fazer, que tipo de treinador você vai trazer. Normalmente isso não é pensado e tem clube até hoje pagando, clube grande, disputando a Libertadores e pagando quatro treinadores simultaneamente por conta dessas loucuras. Para mim, vale o teste", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL