PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


Posse de Bola #42: Quem desafia o Fla sem Jesus? Paulistas, gaúchos, Galo?

Do UOL, em São Paulo

20/07/2020 11h30

Jorge Jesus deixou o comando do Flamengo para retornar ao Benfica após a conquista de seis taças em apenas um ano de trabalho em que seu time totalizou apenas quatro derrotas. Sem o técnico português, a direção do clube rubro-negro já trabalha visando a sucessão, em uma missão diferente da que teve há pouco mais de um ano, quando precisou substituir Abel Braga, que não fazia um trabalho com bons resultados.

No podcast Posse de Bola #42, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam o peso que tem a saída de Jorge Jesus para o Flamengo e também para o futebol brasileiro, as possibilidades de substituição do treinador e se o patamar em relação a outros clubes pode ficar mais próximo do que era no período do português.

Para Arnaldo, a saída de Jesus dá à gestão atual do Flamengo, comandada pelo presidente Rodolfo Landim, o seu maior desafio desde que assumiu o clube, maior até do que foi quando o clube buscou o português para o lugar de Abel Braga, e considera que os principais jogadores do elenco devem ser ouvidos na escolha pelo novo treinador.

"Jorge Jesus no futebol brasileiro elevou o nível de discussão nosso, da imprensa, elevou, como o Juca falou, a questão do desafio dos outros treinadores, ele deu uma bagunçada geral em um ano maravilhosa, poucas vezes a gente teve tanto chacoalhão positivo em 12 meses", afirma Arnaldo.

"Acho que a sucessão do Jorge Jesus é o maior desafio dessa diretoria e eu não acho que a escolha dele foi difícil lá atrás. Aquela missão de substituir o Abel era muito fácil, qualquer opção, várias, inclusive brasileiras, poderiam ser melhores do que o Abel naquele momento. Aquela substituição não foi difícil, acertar na mosca é uma questão, agora, substituir o Abel não era complicado, sinceramente. Substituir o Jesus é muito complicado", completa.

Arnaldo lembra que Jesus não foi o primeiro treinador da gestão de Landim e acredita que a direção deva fazer algo semelhante ao que o São Paulo fez quando contratou Fernando Diniz para substituir Cuca, ouvindo os líderes do grupo de jogadores.

"Os dirigentes do Flamengo e são vários, foram eles mesmos que trouxeram o Abel lá atrás no início desse mandato, foram esses caras, não foi que eles chegaram com o Jesus, eles chegaram com o Abel. Tiraram o Dorival e colocaram o Abel, foi a primeira medida desses caras, então eu acho que consultar um Diego Alves, um Filipe Luís, um Diego, o Gabigol vai ali meio por tabela, é importante, mais ou menos eu vi isso com muita desconfiança quando aconteceu, admito, mas hoje acho que foi atitude acertada, mais ou menos como o São Paulo desesperado consultou o Daniel Alves e outros cabeças para escolher o Fernando Diniz", afirma o jornalista.

Mauro Cezar Pereira acredita que a direção do Flamengo vai consultar os jogadores no momento de fechar com um treinador, que deverá ser alguém que não altere tanto a forma de jogar que vinha dando certo com Jorge Jesus, técnico que nunca indicou que permaneceria muito tempo no clube da Gávea.

Sempre estava muito claro que o Jesus não ficaria muitos e muitos anos, nunca ameaçou virar o Ferguson rubro-negro, nunca deu sinais disso, então essa reposição ia ter que acontecer, cedo ou tarde, ele deixa um time montado, o Flamengo tem um time pronto e montado, e essa questão de ouvir os jogadores é muito importante e vai acontecer, e o novo técnico tem que ouvir também esses jogadores. Você não pode chegar no grupo e deixar de ouvir o Diego Alves, o Rafinha, o Filipe Luís, o Diego Ribas, o Gabigol, conversar com o Gabigol", diz Mauro Cezar.

Além da substituição de Jorge Jesus no Flamengo, o programa também analisa como fica o Palmeiras, agora oficialmente sem Dudu, além de Corinthians e São Paulo para a volta do Campeonato Paulista, o Atlético-MG que segue contratando jogadores e se fortalecendo sob o comando de Jorge Sampaoli, além dos gaúchos Grêmio e Internacional.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.