PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Companheiro de Felipe Massa vence. Mas polêmicas marcam prova da FE

Felipe Massa durante prova da Fórmula E - Ivan Shum - Clicks Images/Getty Images
Felipe Massa durante prova da Fórmula E Imagem: Ivan Shum - Clicks Images/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Hong Kong

10/03/2019 14h20

Companheiro de Felipe Massa na Venturi, Edoardo Mortara venceu o E-Prix de Hong Kong na madrugada de hoje após uma prova cheia de polêmicas. O vencedor original Sam Bird acabou perdendo pontos por causa de um toque em Lotterer.

No final da prova, Bird colidiu com Andre Lotterer. O alemão precisou abandonar a prova ao sofrer o toque no pneu traseiro em tentativa de ultrapassagem do adversário. Assim, Bird perdeu cinco segundos em acabou em sexto, atrás de Felipe Massa.

Enquanto isso, Felipe Massa fez uma prova de superações. O brasileiro largou em nono e vinha ganhando terreno até ser atingido pelo Alexander Sims, que entornou a suspensão do carro dele e isso o fez perder várias posições. Por causa da bandeira vermelha durante a prova, o time pôde consertar o carro e ele voltou passando todo mundo mesmo em uma pista em que as ultrapassagens foram muito difíceis. 

A Venturi está em franca evolução e o companheiro do Massa, Edoardo Mortara, largou em terceiro e terminou em segundo, mas depois acabou com a vitória pela punição a Bird.

"Fiz uma ótima largada, ultrapassei dois, três carros. Chegou na curva três, um maluco, como tem sempre aqui, não é... O Sims. Veio um louco passando por cima da suspensão, e aí encheu minha traseira, entortou minha suspensão, meu volante ficou totalmente torto. Aí tive algumas voltas até a bandeira vermelha, fui para 11º. Minha corrida começou a partir dali e tive um ótimo ritmo, excelente trabalho com a bateria também. Foi um bom resultado, pensando em tudo o que aconteceu", falou Massa.

Outra grande polêmica veio com Felipe Nasr, da Dragon. Ele teve que abandonar a corrida logo após a segunda volta, porque teve problemas com a carenagem da roda dianteira e ficou no muro. Pascal Werhlein e Jêróme D'Ambrosio, ambos da Mahindra, bateram nele e também deixaram a prova.

D'Ambrosio não ficou contente com o brasileiro e o criticou. Felipe Nasr, então, resolveu responder. 

"Ele é mecânico agora? Sabe se o carro está funcionando ou não?", disse Nasr quando soube das críticas do adversário. "Não era só o meu carro. Eu tomei tanta porrada na primeira volta que minha carenagem começou a bater na roda dianteira. Daria para continuar tranquilo. Não tinha dano no carro. A minha carenagem grudou na roda de vez e entrou para debaixo do carro e não tinha o que fazer. Fui reto. Não tinha o que fazer, só era um passageiro", acrescentou.

Esporte