PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Villarreal diz ter identificado e banido torcedor que jogou banana em campo

Da EFE

Em Villarreal (Espanha)

28/04/2014 14h17

O Villarreal emitiu um comunicado nesta segunda-feira (28) em que afirma ter identificado o torcedor que jogou uma banana em direção ao lateral direito brasileiro Daniel Alves, e que o acusado já foi punido com a proibição de entrar novamente no estádio El Madrigal.

"Graças às Forças de Seguranças e a inestimável colaboração da exemplar torcida amarela, o clube já identificou o autor", divulgou o clube da primeira divisão do Campeonato Espanhol.

O responsável pelo ato racista não teve o nome revelado, mas segundo o Villarreal se trata de um sócio do clube. No comunicado, houve nova condenação ao que aconteceu no estádio El Madrigal, durante a vitória do Barcelona por 3 a 2 sobre os donos da casa.

“Mais uma vez, gostaríamos de expressar nosso comprometimento em promover o respeito, igualdade, companheirismo e ‘fair play’ dentro e fora dos campos, e nossa absoluta rejeição a todo e qualquer ato contrário a esses princípios, como violência, racismo, discriminação e xenofobia”, completou a nota.

Ontem, aos 31 minutos do segundo tempo, quando se posicionou para cobrar escanteio, Daniel Alves avistou uma banana no gramado, e resolveu responder comendo a fruta, o que gerou grande repercussão nas redes sociais.

"Meu Brasil brasileiro, verde, amarelo, preto, branco e vermelho. Somos um povo alegre com samba no pé, e é com alegria e ousadia que a gente tem que se manifestar. Olha a banana, olha o bananeiro… Sou baiano, sou brasileiro… Estamos mais fortes do que nunca, o sorriso é a nossa proteção, a musica é a nossa espada… Nos vemos na Copa… Estamos juntos!! #deusnocomando #somostodosmacacos #danidobrasil #amadajuazeiro", escreveu o jogador.

Veja a repercussão do racismo sofrido por Daniel Alves

Desde então, o jogador recebeu inúmeras manifestações de apoio, inclusive da presidente Dilma Rousseff e de Joseph Blatter, presidente da Fifa. Dilma disse que o racismo "é algo que tem se tornado comum nos estádios" de futebol, mas elogiou a "resposta ousada e forte [de Daniel Alves] ao racismo no esporte".

Por fim, ela terminou explicando que todas as pessoas têm uma mesma origem, e levantou a bandeira contra a discriminação racial: "Vamos mostrar que nossa força, no futebol e na vida, vem da nossa diversidade étnica e dela nos orgulhamos. #CopaSemRacismo", escreveu a presidente.

Já o pai do jogador, Domingos Alves, disse ao UOL Esporte ter ficado preocupado com a possibilidade de a banana estar envenenada.

"Eu assistia o jogo na hora e de repente eu vi ele descascando e comendo a banana e depois o repórter falando isso. A atitude foi boa, mas é um perigo. Poderia ter algo diferente nessa banana, sabe-se lá o que poderia ter ali. Pode ter veneno, né?", falou.

O Barcelona também divulgou comunicado apoiando o lateral brasileiro: "O Barcelona quer manifestar seu total apoio e solidariedade com o jogador Daniel Alves após os insultos recebidos neste domingo no campo do Villarreal. O clube, em nenhum caso, relaciona os agressores com o clube local e valoriza muito positivamente o apoio do Villarreal ao nosso jogador".

"A condenações pública e imediata das agressões registradas vão na direção certa para transformar os estádios em espaços onde prevaleça o esporte e para que as deficiências de comportamento de algumas pessoas sejam isoladas e depois erradicadas para sempre", completou a nota.

Esporte