Topo

Esporte


Vicente Luque espera "melhor versão" de Thompson e garante: "Tenho armas para bater de frente"

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

19/09/2019 07h00

O brasileiro emendou seis triunfos consecutivos no UFC - Marcel Alcântara

Com uma sequência de seis vitórias seguidas no Ultimate, Vicente Luque vive seu principal momento na carreira. E quando a fase é boa, o desafio vem à altura. No dia 2 de novembro, no UFC 244, evento que será realizado em Nova York (EUA), o brasileiro encara Stephen Thompson, que já lutou duas vezes pelo cinturão dos meio-médios (77 kg). Como os dois lutadores têm estilo agressivo, a expectativa é alta para o confronto e o atleta tupiniquim está confiante que pode aumentar sua sequência positiva.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o meio-médio garantiu que não mudará seu estilo de luta, apesar de o seu rival também ser um especialista na trocação. Das 10 vitórias pelo Ultimate, Vicente nunca deixou nenhuma nas mãos dos jurados. Já Thompson tem sete nocautes em 14 compromissos na carreira.

"Acredito que é um grande combate para o público. Pelo estilo de trocação, eu sou do muay thai, ele é do karatê, então será um desafio de estilos. Entendo que ele tem uma trocação boa, mas a questão é que não pode respeitar a trocação dele. Tenho armas para bater de frente. Ali já não vou dar a vantagem de não querer trocar. Muitas vezes quem luta com ele foge, e é esse momento que ele ataca melhor. Quando alguém ataca, ele usa o contra-ataque. O (Anthony) Pettis conseguiu, mas só depois de um tempo. O Darren Till também foi muito agressivo, e essa é a falha dele (Thompson)", disse.

Apesar de ambos os lutadores possuírem um estilo de combate parecido, a fase dos dois atualmente é distinta. Enquanto Vicente acumula triunfos, Thompson vem de duas derrotas seguidas. Se para outros atletas isso seria um motivo de alerta, já que tem o adversário de alto nível pressionado, para Luque é algo que vai aproveitar bastante.

"Sei que ele vai chegar preparado. Vai querer vir com tudo. Ele ainda tem o sonho de voltar a disputar o cinturão, então não vai vacilar. Para mim isso é bom, porque quero enfrentar os melhores na sua melhor versão. E acredito que vou enfrentar a melhor versão do Thompson", confia o brasileiro.

Enfrentar um ex-desafiante ao título e um lutador melhor ranqueado é um feito inédito para Vicente no UFC. Atualmente na 14ª colocação do ranking dos meio-médios, ele diz não ligar para a pressão extra deste combate e sabe que uma vitória pode ser um trampolim para a parte de cima da listagem oficial da organização.

"O meio-médio sempre foi uma categoria com muita gente de qualidade. Agora com essa troca de cinturão, todos estão de olho e com potencial para serem campeões. Tudo isso tem tornado a categoria a mais interessante do momento. É muito bom isso, mas também não é fácil, porque tem que fazer grandes lutas. Porém, quando vai conseguindo, vai subindo e todo mundo te vê mais. Agora você vê, no UFC 244 terá uma luta que não vale cinturão (entre Jorge Masvidal e Nate Diaz), com dois nomes da 77 kg. Isso é bom demais para a gente", afirmou.

Vicente Luque chegou no UFC em 2015 e até o momento tem 10 vitórias e duas derrotas. Já Stephen Thompson, que lutou pelo título da categoria em 2016 e 2017, diante de Tyron Woodley, com a primeira terminando empatada e sendo superado na segunda, tem nove triunfos e três reveses na organização.

Mais Esporte