PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após 'salvar' moscas, Cejudo provoca: "Tentaram nos matar, mas sobrevivemos para lutar"

Ag. Fight

22/01/2019 13h07

Os lutadores dos pesos-moscas (57 kg) estão em estado de tensão desde novembro, quando surgiram as primeiras notícias sobre uma eventual decisão do UFC de acabar com a divisão. Os rumores ganharam força com o agendamento do duelo entre Henry Cejudo, campeão da categoria, e TJ Dillashaw, detentor do cinturão peso-galo (61 kg). No entanto, a vitória de 'The Messenger' por nocaute, ainda no primeiro round, pode ter mudado o rumo das coisas. Ao menos, foi o que deu a entender Cejudo ao desabafar em um post no Instagram (veja abaixo ou clique aqui).

O lutador americano, que também já foi medalhista de ouro na luta olímpica dos Jogos de Pequim-2008, lembrou do tempo em que tinha como maior projeto a conquista do cinturão do UFC. De quebra, tranquilizou os parceiros de categoria, que viviam a angústia do possível desemprego.

"Lembre-se sempre de dormir com um sonho e acordar com um propósito. Sonhei muito. Agora, estou cansado de ficar sonhando, mas não estou cansado de sonhar. Vou sempre sonhar grande. Quando eu deito minha cabeça com o novo cinturão UFC Legacy, posso descansar tranquilo, sabendo que uma nova era para a divisão dos moscas está à frente. Durmam bem, pesos-moscas. Eles tentaram nos matar, mas vivemos para lutar por mais um dia", escreveu.

Cejudo tem 31 anos e conseguiu, em 2018, a façanha de destronar Demetrious Johnson - recordista de defesas de cinturão no UFC, com 11. Ao derrotar Dillashaw, Henry emendou sua quarta vitória consecutiva e a 14ª da carreira, que tem também apenas dois reveses.

Um vídeo publicado por ufc (@ufc) em Ago 8, 2015 às 9:50 PDT

 

Esporte