PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Amanda nocauteia 'Cyborg' em menos de um minuto e pede vaga no Hall da Fama

Diego Ribas, em Inglewood (EUA)

Ag. Fight

30/12/2018 03h04

O co-main event do UFC 232, evento realizado em Inglewood (EUA) neste sábado (29), era especial para os fãs brasileiros. Frente a frente Cris 'Cyborg' e Amanda Nunes disputavam o cinturão dos pesos-penas (66 kg) e o posto de melhor lutadora da história do MMA. E a primeira superluta feminina da história do maior evento do mundo fez valer a espera.

Em uma luta extremamente franca, as duas campeãs do UFC trocaram golpes desde o início, o que premiou a velocidade e precisão de Amanda, que encaixou três knockdowns antes de obrigar o árbitro Marc Goddard a interromper o confronto e decretar a primeira derrota da curitibana em mais de 13 anos. Tudo isso em meros 51 segundos.

"Incrível. Meu Deus. Vamos lá! Sim, claro, quando Cyborg veio para cima eu sabia que iria acabar. Sou a primeira a ser campeã em duas divisões. Em sou a melhor. Dana, eu tenho que ser Hall da Fama", declarou, sob aplausos da plateia.

Com o resultado, Amanda escreve mais um capítulo importante na carreira. Primeira brasileira a ser contrata pelo UFC, primeira brasileira a vencer no octógono, primeira campeã homossexual e agora primeira atleta a nocautear Cyborg e primeira campeã de duas categorias diferentes. O futuro sorri para a baiana de 30 anos.

Sangue novo na área

Disposto a recomeçar sua carreira após o flagra no exame antidoping que o afastou dos octógonos por dois anos, Chad Mendes entrou no octógono em busca de sua segunda vitória no UFC desde que retornou aos combates. No entanto, a experiência de ter disputado o título dos pesos-penas (66 kg) em duas oportunidades não foi o suficiente diante de Alexander Volkanovski.

Aos 30 anos e no ápice da forma física, o australiano impôs domínio físico no primeiro assalto e garantiu a vitória por nocaute na etapa seguinte ao levar a melhor durante a troca franca de golpes contra um rival que, atordoado, chegou a levar a luta para o chão - sem eficiência.

Com o triunfo, Alexander agora soma 19 vitórias, sendo seis delas no UFC, e apenas uma derrota. Fiquem de olho nesse promissor atleta!

Já entre os meio-médios (77 kg), Michael Chiesa estreou na divisão e provou que o corte de peso para atuar entre os leves (70 kg) tirava grande parte de seu potencial. Diante do ex-campeão interino Carlos Condit, o ex-TUF deu show e, em um combate movimentado, finalizou com uma kimura usando apenas uma mão no 2º round.

Acompanhe os resultados do UFC 232:

Amanda Nunes nocauteou Cris 'Cyborg' no 1º round;
Michael Chiesa finalizou Carlos Condit no 2º round;
Corey Anderson venceu Ilir Latifi por decisão unânime;
Alexander Volkanovski nocauteou Chad Mendes no 2º round;
Walt Harris venceu Andrei Arlovski por decisão dividida;
Megan Anderson nocauteou Cat Zingano no 1º round;
Petr Yan venceu Douglas Silva de Andrade por nocaute técnico no 2º round;
Ryan Hall finalizou B.J. Penn no 1º round;
Nathaniel Wood finalizou Andre Ewell no 3º round;
Uriah Hall nocauteou Bevon Lewis no 3º round;
Curtis Millender venceu Siyar Bahadurzada por decisão unânime;
Montel Jackson finalizou Brian Kelleher no 1º round.

Esporte