PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Minotouro' minimiza tempo afastado e promete foco em nocaute no UFC São Paulo

Felipe Castello Branco e Marcel Alcântara, em São Paulo (SP)

Ag. Fight

22/09/2018 08h00

Rogério 'Minotouro' está sem lutar há quase dois anos, mas isso não desmotiva o veterano. Aos 42 anos, o baiano sofreu alguns tropeços na carreira, como lesões ou a recente suspensão por doping após ingerir suplemento contaminado. Agora recuperado e liberado para retornar ao octógono, o meio-pesado (93 kg) retomou a motivação dos anos anteriores, como contou em entrevista à reportagem da Ag Fight.

Escalado para o duelo contra Sam Alvey no próximo sábado (22), em São Paulo, 'Minotouro' tentará sacudir a poeira após ser retirado do UFC Oklahoma, em junho de 2017, devido a uma lesão na cervical adquirida durante os treinos. Para piorar, em dezembro do mesmo ano, no Canadá, a suspensão aplicada pela USADA (agência antidoping americana) o retirou de mais um evento. O julgamento do lutador foi concluído este ano e, inocentado de culpa no caso, ele pegou a punição mínima de seis meses.

"Foi uma época ruim, tive vontade de voltar, mas não conseguia. Tanto pela questão da lesão quanto do doping, mas tem que ver o lado positivo. Estou voltando a lutar, no Brasil, e isso pra mim é motivação. Vamos esquecer o que passou e agora é seguir em frente, seguir treinando. Essa é a vida do guerreiro mesmo. Passar por dificuldades", declarou o veterano.

Finalmente sem lesões e com luta marcada em casa, 'Minotouro' tentará usar de sua especialidade para levantar o público paulista. Afinal, através do boxe o lutador já conquistou, inclusive, uma medalha de bronze nos Jogos Pan-americanos de 2007. E para o próximo confronto, a estratégia para a luta será bem clara: partir para o nocaute.

"Eu fiz minha última luta aqui em São Paulo, estava com vontade de lutar para a torcida de São Paulo novamente, tive um tempo parado, quase dois anos, mas estou de volta e estou feliz de estar aqui. Estou motivado de lutar com um atleta de alto nível também, um cara que gosta da trocação em pé, então acredito que será uma luta bastante movimentada. A estratégia é fazer uma luta de boxe. Ele é um cara que também tem experiência no boxe, então a estratégia é partir para o nocaute", projetou.

A idade avançada, entretanto, faz o lutador constantemente repensar a carreira. Sócio do irmão Rodrigo 'Minotauro' em uma rede de academias que leva o sobrenome da família, Rogério garante que não faltará trabalho após se retirar do octógono.

"Já estou com 42 anos, então é uma época de pensar em parar. Tem que ver aí o treinamento, quanto tempo vou treinar e lutar bem, as competições que servirão de base aí para eu fazer essa transição de carreira. A gente tem a rede de academias Team Nogueira e hoje eu sou o presidente da rede, então já tenho uma agenda bem ativa na administração da academia, então acho que a possibilidade futura para mim é trabalhar na gestão das academias", concluiu.

'Minotouro' estreou no UFC em 2009 com vitória sobre Luiz Cane. O brasileiro realizou, até então, dez combates na organização em que conquistou cinco triunfos. Ao longo da carreira profissional como atleta de MMA Rogério venceu em 22 oportunidades e sofreu oito derrotas.

Esporte